Giro d’Itália: Ciccone vence em fuga solitária aos 21 anos

Saiba como!

A Itália revelou um novo talento, seu nome é Giulio Ciccone (Bardiani-CSF), o atleta de 21 anos já tem uma vitória no Giro d’Itália em seu currículo, e que vitória!

Após uma confusão entre seus companheiros de fuga, em uma curva, na descida da penultima montanha do dia, ele escapou sozinho e venceu a décima etapa, chegando na frente do russo Ivan Rovny (Tinkoff) e do colombiano Darwin Atapuma (BMC), segundo e terceiro, respectivamente, que vinham em perseguição mas não conseguiram alcançar o jovem italiano, nesta que foi a primeira vitória de uma equipe continental no Giro 2016.

O pódio:

Ciccone estava em êxtase após a vitória, chegou chorando, e não é por menos, foi uma verdadeira batalha com seus companheiros de fuga.  Após a vitória ele disse:

“Eu nunca imaginei vencer uma etapa no Giro, ainda mais em meu primeiro ano como profissional, é uma grande surpresa para mim”.

Dia difícil para o Maglia Rosa

Gianluca Brambilla (Etixx-QuickStep) foi intensamente atacado e acabou sobrando no trecho final da penultima subida do dia, quando um grupo seleto se formou apenas com atletas que brigam pela classificação geral (CG). Brambilla, juntamente com Hesjedal (Trek), que também havia sobrado, se esforçou e, na descida, conseguiu retornar ao grupo, mas, em seguida, Andrey Amador (Movistar) acabou escapando e assim colocando em risco a Maglia Rosa (Ele poderia, como fez depois, ajudar Giovani Visconti (Movistar) que poderia assumir a Maglia Rosa e já estava escapado). Não restando outra alternativa, Brambilla pegou a ponta do grupo para ajudar seu companheiro de equipe, o então segundo lugar na geral, Bob Jungels (que estava em melhores condições). Bambrilla fez o trabalho perfeito, aumentou o ritmo do grupo, diminuiu a diferença para Amador, acabou sobrando, mas conseguiu garantir  a dupla liderança de Jungels na prova: na geral e na categoria jovem talento. O sacrifício de Brambilla valeu a pena.

170613_589814360

Veja aqui nossa análise das 10 primeiras etapas.
Veja aqui os principais favoritos para vencer o Giro.
Assista o Giro online.

Como a etapa se desenvolveu

A etapa, após um dia de descanso, começou com a péssima notícia que Mikel Landa (Sky) não havia passado bem a noite. O ciclista largou, mas sobrou logo no início do dia, com menos de 60 km de prova. Apesar da ajuda dos companheiros, era nítido que Landa não tinha condições (veja vídeo abaixo). A equipe Sky comunicou que o atleta amanheceu com dores abdominais. O médico da equipe diagnosticou o problema como gastroenterite viral, o que prejudicou a performance do atleta que foi obrigado a sair da prova.

Assim a Sky se une aos times sem atletas para disputa da classificação geral (como IAM, BMC, Lotto-Soudal e FDJ) e deve tentar vencer etapas. Equipe forte pra isso tem e da Sky sempre são esperados grandes resultados. Vamos ver. 

A fuga do dia era grande e contava com dez atletas de vários times: Guillaume Bonnafond (AG2R-La Mondiale), Stefano Pirazzi e Giulio Ciccone (Bardiani CSF), Darwin Atapuma (BMC), Nate Brown (Cannondale), Damiano Cunego (Nippo Vini Fantini), Georg Preidler (Giant-Alpecin), Egor Sillin (Katusha), Ivan Rovny (Tinkoff) e Riccardo Zoidl (Trek Segafredo).

O austríaco George Preidler (Giant-Alpecin) tentou a sorte muito longe da chegada e ficou escapado por vários quilômetros sendo neutralizado mais tarde. O grupo ficou neste ataca-neutraliza por um bom tempo até que um forte grupo com Visconti, Atapuma, Ciccone, Cunego e Pirazzi se formou, com Ciccone abrindo fuga solo em uma descida técnica e não sendo mais alcançado até a chegada.

No carro da equipe Bardiani-CSF, o diretor vibrava com braços para fora, quase caindo fora do carro, em extase pelo seu atleta ter conseguido tal feito.

17-05-2016 Giro D'italia; Tappa 10 Campi Bisenzio - Sestola; 2016, Bardiani Csf; Ciccone, Giulio; Sestola;
Giro D’italia; Etapa 10 – Campi Bisenzio – Sestola. Ciccone e equipe.

No grupo dos favoritos, Amador atacou para tentar ajudar Giovani Visconti (Movistar) que estava na fuga e poderia conquistar a Maglia Rosa, mas já era tarde demais, o costa-riquenho não conseguiu abrir tempo suficiente para se tornar o primeiro atleta da América Central a vestir a Maglia Rosa. Mas, há muita estrada ainda pela frente e este feito pode ser alcançado na próxima etapa de montanha, a não ser que Jungels, com 23 anos, mostre que não é apenas uma zebra na liderança geral da prova!

Veja, no strava do atleta Giovanni Visconti, a dureza da etapa que foi concluída em quase 6 horas, velocidade média de 37km/h, média de 265 watts e mais de 4mil metros de desnível acumulado (sem contar as mais de 6 mil calorias!):

Strava Visconti
Strava Visconti

Esperamos por vocês amanhã, em uma etapa destinada aos sprinters. Até lá!

Classificação da etapa:

1. it
CICCONE Giulio
Bardiani – CSF
05:44:32
2. ru
ROVNY Ivan
Tinkoff
0:42
3. co
ATAPUMA HURTADO John Darwin
BMC Racing Team
1:20
4. us
BROWN Nathan
Cannondale Pro Cycling Team
1:53
5. it
CUNEGO Damiano
Nippo – Vini Fantini
2:04
6. cr
AMADOR Andrey
Movistar Team
2:10
7. it
VISCONTI Giovanni
Movistar Team
2:11
8. es
VALVERDE Alejandro
Movistar Team
9. co
CHAVES RUBIO Johan Esteban
Orica GreenEDGE
10. dk
FUGLSANG Jakob
Astana Pro Team

Classificação geral após etapa 10:

1. lu
JUNGELS Bob
Etixx – Quick Step
40:19:52
2. cr
AMADOR Andrey
Movistar Team
0:26
3. es
VALVERDE Alejandro
Movistar Team
0:50
4. nl
KRUIJSWIJK Steven
Team LottoNL – Jumbo
5. it
NIBALI Vincenzo
Astana Pro Team
0:52
6. it
BRAMBILLA Gianluca
Etixx – Quick Step
1:11
7. pl
MAJKA Rafał
Tinkoff
1:44
8. dk
FUGLSANG Jakob
Astana Pro Team
1:46
9. ru
ZAKARIN Ilnur
Team Katusha
2:08
10. co
CHAVES RUBIO Johan Esteban
Orica GreenEDGE
2:26

Classificação completa aqui!

Abaixo o vídeo com melhores momentos, fotos e entrevistas.

Melhores momentos da etapa:

Fotos da etapa (por sirotti/rcs):

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entrevista do líder da prova:

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta