Giro d’Itália: Colômbia domina a Etapa Rainha

Saiba como!

O colombiano Esteban Chaves (Orica-GreenEdge) venceu a etapa rainha do Giro d’Italia 2016 de maneira incontestável. Após mais de 200km percorridos em pouco mais de 6h, todos esperavam que Georg Preidler (Giant-Alpecin) venceria o sprint final, mas Chaves aguardou o momento exato, atacou e cruzou a linha em primeiro na frente do holandês Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo), que também ultrapassou Preidles no final. Com o resultado Kruijswijk assumiu a Maglia Rosa.

O pódio:

Darwin Atapuma (BMC), outro colombiano na prova, tinha tudo para vencer a etapa. Ele estava no grupo que liderava a prova juntamente com Kanstantsin Siutsou (DIMENSION DATA) e Georg Preidler  e no final da última subida do dia atacou e vinha escapado com caminho livre para a vitória.  O problema foi que atrás vinham Kruijswijk e Chaves andando muito forte para tentar colocar tempo em Nibali e no restantes dos concorrentes da geral. Ele  acabou sendo alcançado faltando pouco menos de 2km para a chegada, seguiu junto com o os dois mais Georg Preidler  que acabou vindo junto, mas não aguentou a aceleração final, cruzando em quarto lugar.

Kruijswijk agora lidera o Giro d’Italia por 41 segundos de vantagem sobre Vincenzo Nibali com Esteban Chaves em terceiro, mais 49 segundos atrás.

Classificação geral

1. nl
KRUIJSWIJK Steven
Team LottoNL – Jumbo
60:12:43
2. it
NIBALI Vincenzo
Astana Pro Team
0:41
3. co
CHAVES RUBIO Johan Esteban
Orica GreenEDGE
1:32
4. es
VALVERDE Alejandro
Movistar Team
3:06
5. cr
AMADOR Andrey
Movistar Team
3:15
6. pl
MAJKA Rafał
Tinkoff
3:29
7. ru
ZAKARIN Ilnur
Team Katusha
3:53
8. co
URAN Rigoberto
Cannondale Pro Cycling Team
5:01
9. by
SIUTSOU Kanstantsin
Dimension Data
5:38
10. dk
FUGLSANG Jakob
Astana Pro Team

Veja a classificação completa aqui!

A etapa, que foi apontada como a mais dura entre todos os Grand Tours desse ano, possuía seis subidas categorizadas e mais de 5.000 m de altimetria. Sem dúvida era o dia mais difícil do Giro.

Como a etapa se desenvolveu

Com muitos ciclistas interessados em entrar na fuga ela demorou pra acontecer e quando ela finalmente se formou, com mais de 45 km de prova, eram 38 ciclistas, os maiores nomes entre eles eram Moreno Moser (Cannondale), Matteo Trentin (Etixx-QuickStep), Diego Ulissi (Lampre), Sacha Modolo (Lampre), Tim Wellens (Lotto Soudal), o líder da camisa de montanha, Damiano Cunego (Nippo-Vini Fantini), Carlos Betancur (Movistar), Ruben Plaza (Orica-GreenEdge), Darwin Atapuma (BMC), Nicolas Roche (Sky), David Lopez (Sky), e Rein Taaramae ( Katusha).

Veja aqui nossa análise das 11 últimas etapas.
Veja aqui os principais favoritos para vencer o Giro.
Assista o Giro online.

No pelotão a Movistar assumiu a responsabilidade pela ponta do pelotão já que Andrey Amador era o Maglia Rosa. Depois de 75 km da etapa 210 km a fuga tinha 4’20 de vantagem e no final da primeiras das 6 subidas já era de seis minutos.  Cunego ampliou sua vantagem na classificação de montanha cruzando a primeira subida de categoria 1, o Passo Pordoi, em primeiro e com o aumento do ritmo nas subidas os homem na fuga estavam sendo selecionados.

No pelotão, ao entrar na penúltima montanha do dia a Astana começou a sua aceleração e apenas 12 ciclistas permaneceram no grupo dos favoritos. Andrey Amador foi uma das ultimas vítimas do ritmo da Astana, faltando 43 km para o final ele não aguentou e sobrou, mas mais uma vez ele conseguiu voltar na descida, antes da ultima subida do dia. E foi na ultima subida que tudo aconteceu. Quase que ao mesmo tempo em que Vincenzo Nibali atacava pela primeira vez o grupo dos favoritos, Atapuma atacava o grupo dos líderes da prova que eram ele  Kanstantsin  Siutsou e Georg Preidler.

Colombian rider Esteban Chaves of Orica GreenEdge (C) on the way of the 14th stage of Giro d’Italia cycling race from Alpago to Corvara, 21 May 2016. ANSA/CLAUDIO PERI
Foto:  ANSA/CLAUDIO PERI

No grupo dos favoritos, todos responderam ao ataque, menos quem mais se esperava: Valverde. O espanhol não teve reação e na frente um forte grupo se formou, contando com Nibali, Majka, Zakarin, Kruijswijk e Chaves. Com valverde restaram apenas os gregários da Astana, Amador e Pozzovivo, que ajudavam o espanhol, mas sem sucesso de tirar a diferença, que só aumentava.

Kruijswijk não estava satisfeito e lançou um ataque sobre o grupo e conseguiu escapar junto com Chaves, Nibali sobrou e veio sozinho até o final. A dupla Chaves/Kruijswijk veio revezando e fez Valverde tomar mais de 3 minutos, com isso a camisa rosa fica distante para o espanhol. No final Chaves surpreendeu a todos com um forte sprint e levou além da etapa, o bônus de 10 segundos que irão ajudá-lo posteriormente.

Kruijswijk vestiu a Maglia Rosa pela primeira vez, mas promete não tirá-la tão cedo, mas isso, amanhã saberemos. Confira a entrevista com o atleta abaixo:

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta