Giro d’Itália: Roger Kluge rouba a cena dos velocistas

Saiba como!

O alemão Roger Kluge (IAM Cycling) venceu a etapa 17, que aconteceu hoje no Giro d´Itália, surpreendendo a todos que esperavam que mais uma etapa plana seria decidida no sprint. Kluge usou sua habilidade de passista e acelerou forte no quilômetro final, ultrapassando Filipo Pozzato (Willier Triestina-Southeast) que havia tentado fazer o mesmo que ele, só que mais cedo. O líder dos velocistas Giacomo Nizzolo (Trek) acabou cruzando a linha na segunda colocação e Nikias Arndt  (Team Giant-Alpecin) na terceira.

O pódio:

Desta forma, a equipe IAM Cycling consegue sua primeira vitória no Giro 2016 e levanta os ânimos dos atletas que foram informados essa semana que o time será desfeito ao final da temporada. A equipe suíça que corre com bicicletas Scott, faz parte do nível mais alto do ciclismo mundial (WorldTour) desde 2012 e o patrocinador IAM trabalha no ramo de gerência de investimentos (Investiment Asset Management).

170618_592408245

Kluge estará em busca de medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio, mas no velódromo. O atleta é especialista na prova de Omnium e estará brigando com Cavendish, Gaviria, Viviani e o brasileiro Gideone Monteiro na prova. Isso explica a incrível potência que ele usou no final da prova.

Melhores resultados de Kluge

 stage Giro d’Italia  (’16)
 Sparkassen Neuseen Classics – Rund um die Braunkohle  (’10)
2x stage Course De Solidarnosc Et Des Champions Olympiques   (’09)
 stage Ster ZLM Toer GP Jan van Heeswijk  (’15)
3rd Clasica de Almeria  (’12)
3rd stage Giro d’Italia  (’15)
4th GC Delta Tour Zeeland  (’11)
4th GC Tour of Qatar  (’10)

Confira o Strava do escalador francês da Lotto-Soudal, Maxime Monfort:

monfort

Como a etapa se desenvolveu

Um dia sem montanhas no Giro e finalmente os ciclistas puderam respirar. Com 198km de trajeto fácil, foi um dia para os velocistas tentarem a vitória, e também dos aventureiros tentarem longas fugas. Os aventureiros de hoje foram três: Daniel Oss (BMC), Eugert Zhupa (Wilier Triestina-Southeast) e Pavel Brutt (Tinkoff), que escaparam assim que a bandeira baixou, na largada! Os três já tentaram outras fugas neste Giro, já estão calejados nesta arte.

As principais equipes que controlaram o pelotão hoje foram a Trek-Sagafredo, a Lampre-Merida, esperando que seus velocistas, Nizzolo e Modolo, respondessem com vitória no final, e a Dimension data que apoiou, em alguns momentos, a perseguição. A distância da fuga não foi grande, atingindo no máximo 4 minutos.

Com 30km para o final, mais três ciclistas saltaram do pelotão e se uniram à fuga inicial, eram eles: Lars Bak (Lotto-Soudal), Ignatas Konovalovas (FDJ) e Maxim Belkov (Katusha), que dobraram o tamanho da fuga e aumentaram a dificuldade do pelotão em alcançá-los.

Foto: LB/RB/Cor Vos © 2016
A fuga. Foto: LB/RB/Cor Vos © 2016

Mas as equipes estavam ávidas pelo sprint, e fizeram de tudo para pegá-los, o que desgastou muito os embaladores que, ao final, deixaram uma janela de oportunidade para que acontecessem alguns ataques nos km finais.

E foi justamente nesse momento que Filipo Pozzato (Willier Triestina-Southeast) tentou a sorte, abrindo lentamente 20, 30, 40m. Roger Kluge também percebeu que a velocidade do pelotão não era tão grande e na última curva da etapa pedalou forte, não sendo acompanhado por ninguém, logo ultrapassou Pozzato, que tentou ir junto, mas o passo do alemão era muito forte. Os velocistas inicialmente ficaram sem reação, mas depois foram para o tudo ou nada. Kluge olhou para trás pela última vez para se certificar que a vitória estava próxima e com 25 m para o final ergueu os braços e cruzou a linha de forma surpreendente!

Confira os melhores momentos:

Dia fácil para os líderes da geral

Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) terminou tranquilo no pelotão, sem maiores problemas, escoltado por seus companheiros e se aproximando da tão esperada vitória geral no Giro.

Foto: ANSA - PERI / DIMEO / ZENNARO
Kruijswijk protegido pela equipe Lotto. Foto: ANSA – PERI / DIMEO / ZENNARO

Hoje foi dia da imprensa italiana colocar mais peso nas costas de Vincenzo Nibali (Astana), que era considerado favorito, mas viu suas chances ficaram mais distantes quando pregou na etapa de ontem. O italiano disse, em entrevista, que está se sentindo “humilhado”, mas que não pode desistir até chegar em Milão. O Tubarão mostra que continuará na batalha pela vitória, apesar de não sentir que esteja em seus melhores dias.

O médico da equipe Astana, por sua vez, disse que irá realizar alguns exames para averiguar a saúde do escalador italiano, mas acredita que não haja problemas. Nibali, desta forma, tentará seu lugar ao pódio, mas para isso precisará brigar com Valverde, Zakarin, Chaves e o próprio líder Steven Kruijswijk. Os italianos vêm nele um substituto para Marco Pantani, mas cada peso tem sua medida.

Classificação geral, após Etapa 17:

1. nl
KRUIJSWIJK Steven
Team LottoNL – Jumbo
68:11:39
2. co
CHAVES RUBIO Johan Esteban
Orica GreenEDGE
3:00
3. es
VALVERDE Alejandro
Movistar Team
3:23
4. it
NIBALI Vincenzo
Astana Pro Team
4:43
5. ru
ZAKARIN Ilnur
Team Katusha
4:50

Veja a classificação completa aqui!

Jornada longa espera os atletas

Amanhã é dia da etapa mais longa do Giro, com 240km! E, além do mais, uma montanha de cat. 2 espera os atletas nos quilômetros finais, com uma descida insana e a chegada em seguida. Dia propício para ataques tardios, como aquele de Ulissi na décima primeira etapa, mas com quase 3 semanas de competições, poucos terão pernas para responder. É esperar para ver o que acontece!

Veja aqui nossa análise das 11 últimas etapas.
Veja aqui os principais favoritos para vencer o Giro.
Assista o Giro online.

Entrevista

Entrevista com Roger Kluge, após a etapa:

Comentários

Be the first to comment

Deixe uma resposta