Tour de France: Zakarin vence nas montanhas da Suiça

Saiba como!

A primeira etapa nos Alpes mostrou uma verdadeira guerra, vários ataques na etapa com a formação de uma grande fuga, e ao final a subida do Finhaut-Emosson, na divisa entre a França e a Suíça, que fez o pelotão da geral explodir. A vitória veio da fuga, com Ilnur Zakarin (Katusha) que deixou para trás seus rivais e venceu de forma incontestável.

O russo era um dos favoritos ao pódio do Giro d´Itália em maio, mas um tombo numa etapa de montanha na terceira semana o tirou da prova e ele teve uma clavícula quebrada. A vitória no Tour vem 2 meses após o incidente, mostrando que o ciclista está no caminho certo e deve ser um dos ciclistas a despontarem nas Olimpíadas, isso se o COI decidir favoravelmente sobre a participação dos russos nesta Olimpíada.

Froome manteve a camisa de líder e amanhã encara um complicado crono na montanha, será mais uma mostra de quem são os verdadeiros escolhidos para o pódio desta edição.

sptdw3007_670
Largada na capital da Suíça, Berna (Tim De Waele).

Como a etapa se desenvolveu

A etapa aconteceu inteiramente em território Suíço, e na região mais montanhosa do país, onde é possível encontrar belas paisagens e durante o ano o fluxo de turistas na região é intenso. O início da etapa teve a formação da seguinte fuga:

Tanel Kangert (Astana), Stef Clement e Jarlinson Pantano (IAM), Kristjian Durasek (Lampre-Merida), Tony Gallopin (Lotto-Soudal), Rafal Majka e Peter Sagan (Tinkoff), Domenico Pozzovivo (AG2R), Steve Morabito (FDJ), Ilnur Zakarin (Katusha), Brice Feillu (Fortuneo-Vital Concept), Alexey Lutsenko (Astana), Greg Van Avermaet (BMC), e Thomas Voeckler (Direct Energie).

sptdw3092_670
Julian Alaphilipe liderando a fuga do dia (Tim De Waele).

Vários ataques aconteceram, e ao final da etapa, quando a montanha final se aproximava, a IAM cycling colocou Stef Clement na ponta da fuga para ajudar Pantano a vencer outra etapa, a tática deu certo e uma fuga com Majka, Pantano e Zakarin se formou. Mas o colombiano vencedor da 15a etapa não foi páreo para o ataque de Zakarin, que mostrou estar em excelente forma para estas 4 etapas de montanha que devem definir o Tour. O russo venceu escapado no topo  do monte Finhaut-Emosson, a primeira vitória russa neste Tour.

Veja o momento do ataque de Zakarin:

Chris Froome  mantém a camisa amarela

Chris Froome mostrou mais uma vez a superioridade de seu time na montanha. Com uma crono-escalada na etapa de amanhã aguardando os ciclistas, era primordial um trabalho de equipe para poupar os ciclistas para o crono, a Sky armou na ponta durante todo o dia, e quando Richie Porte atacou forte ao final do Finhaut-Emosson, Froome ainda tinha Woulter Poels para ajudá-lo, naquele momento Nairo Quintana literalmente quebrou, sobrando de roda para Froome, o que mostra que o colombiano, afinal, não está com a mesma forma dos anos anteriores.

Após a prova Quintana e Valverde falaram ao site Ciclismo a fondo:

Nairo Quintana: Foi um grande dia para mim. Eu esperava fazer melhor, porque me sentia bem, mas meu corpo não estava bem no final. Eu fiz o melhor que pude. Espero que possa recuperar a melhor forma e reagir como sempre fiz em anos anteriores. Eu estou bem, é apenas um mau dia. Temos de recuperar e esperar que o corpo volte ao seu estado natural, como tem acontecido em outras provas. Até Paris tudo pode acontecer. E se não for esse ano, ainda tenho muito anos pela frente. Tenho 26 anos e existem pessoas com mais experiências a minha frente. Tenho bastante tempo para continuar lutando.

Alejandro Valverde: Tentamos! As pessoas não podem dizer que não temos feito. Ganhar vai ser muito difícil, mas nós temos que lutar pelo pódio.A minha ideia era apertar o ritmo e tentar deixa a Sky com menos gregários, para um possível ataque de Nairo. Eu fiz o que pude, fiz várias acelerações até não poder mais. Froome está superior na verdade, temos que continuar com coragem e lutar muito. O Tour ainda não está acabado, queremos o pódio com Nairo, temos essa meta e vamos nos esforçar para isso.

Chris Froome também falou:

Chris Froome: Foi um dia difícil. É sempre difícil saber como seu corpo irá responder depois de um dia de descanso. Gosto de saber que tudo foi bem. Revivi bons momentos com Richie [Porte] que me pressionou muito, tive que manter a sua roda e aguentar até o fim. Pelo menos consegui colocar um pouco mais de tempo nos rivais e por isso estou feliz. Precisa acontecer algo drástico para perder o Tour. Hoje, mais uma vez, provamos que estamos no caminho certo. Não só eu, mas todos os meus companheiros que deram tudo desde o começo. Sergio [Henao] acaba de ser pai e decidiu ficar aqui em vez de voltar para a Colômbia, isso demonstra o grau de comprometimento da equipe. A diferença da equipe Sky sobre as outras é que os meus oito companheiros estão focados em um único objetivo: me ajudar a ganhar o Tour de France.

O contra-relógio de amanhã será crucial. Dumoulin será o rival a ser batido, mas será muito difícil porque ele está em grande forma. Ele já demonstrou no primeiro crono. As diferenças aumentarão, será uma grande batalha, especialmente para os Top 5 e o pódio final. A Movistar e a Astana deixaram claro hoje que não vão facilitar e não vão parar de pressionar Yates e Mollema. Vamos ver como respondem as pernas de Quintana amanhã.

sptdw3054_670
Sky armada, protegendo o líder Chris Froome.

Veja o momento em que Froome faz seus rivais explodirem:

Confira os melhores momentos:

Confira mais imagens da etapa (Getty Images/Tim De Waele/Bettini Photo):

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja tudo sobre as etapas aqui.

Resultados

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta