Olimpíadas: Jenny Rissveds vence o MTB XCO feminino

Saiba como!

A sueca Jenny Rissveds conquistou hoje o ouro no MTB XCO das Olimpíadas do Rio. Ela ultrapassou a polonesa Maja Wloszczowska no início da última volta após as duas abrirem vantagem para as adversárias na segunda metade da corrida. A canadense Catherine Pendrel terminou em terceiro lugar e ficou com o bronze. A brasileira Raiza Goulão fez uma boa prova, e ficou na 20a colocação, o melhor resultado do Brasil na história dos Jogos Olímpicos.

Saiba tudo sobre as provas de MTB XCO dos Jogos Olímpicos aqui.

160820_01964_xco_we_ceremony_wloszczowska_rissveds_pendrel_670
Maja Wloszczowska, Jenny Rissveds e Catharine Pendrel (Rob Jones).

Como a prova se desenvolveu

A suíça Linda Indergrand colocou um ritmo forte no início e já liderava sozinha na abertura da segunda das seis voltas. Atrás dela vinha um grupo com Wloszczowska, Jolanda Neff (Suíça) e Rissveds a apenas 9 segundos.

Pagando o preço pelo forte ritmo inicial, Indergrand acabou sendo ultrapassada pelas perseguidoras e, assim, Rissveds, Neff e Wloszczowska formaram um novo trio líder que dominou a primeira metade da prova.

Rissveds liderou o grupo da ponta no inicio da quarta volta, sustentando três segundos de vantagem sobre Neff e quatro segundos sobre Wloszczowska. Neff, na sequência, pagou por seus esforços para manter-se com Rissveds, cortando da pilota sueca e Wloszczowska.

Indo para a penúltima volta, Wloszczowska levou Rissveds ao ataque, com Neff sentindo o ritmo e perdendo posições, e assim, um forte trio com Catherine Pendrel (Canada), Emily Batty (Canadá) e Nash perseguindo há quase um minuto depois das ponteiras, acabaram passando Neff.

Neff continuou a perder posições ao longo da quinta volta, tanto para Pendrel e Batty passando por ela. Na última volta, Wloszczowska atacava Rissveds perto da linha de meta, com Pendrel perseguindo solo há 30 segundos  atrás, e Batty mais oito segundos depois.

Rissveds atacou Wloszczowska bem longe da meta, abrindo nas partes técnicas com sequências de rochas que acabaram definindo a prova, e assim a atleta de 22 anos se sagrou campeã olímpica seguindo até a meta com os olhos repletos de lágrimas.

Confira as imagens da prova (Rob Jones):

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja abaixo todos os resultados:

Card

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta