Vuelta a España: após 21 dias de batalha, Nairo Quintana é o grande campeão!

Saiba como!

Hoje foi dia de comemorar, como em todo final de Grand Tour, rolou aquele Champanhe e os atletas finalmente puderam comer um hambúrguer ou tomar aquela cerveja com os amigos 🙂 Afinal, foram 3 semanas MUITO intensas e com os nervos à flor da pele! Nairo Quintana pôde respirar mais aliviado e, enfim, sagrar-se campeão desta que foi uma das voltas mais duras de todos os tempos.

A etapa em si teve pouco mais 100 quilômetros, e mais da metade foi feito em ritmo de “passeio”, só começou a valer quando o pelotão chegou em Madri. Um circuito plano repleto de torcedores, muitos deles colombianos, aguardava os atletas, e uma das revelações da Vuelta 2016, Magnus Nielsen (Orica-BikeExchange) bateu o sprint e conseguiu a sua segunda vitória na competição, o garoto tem futuro!

Saiba Tudo sobre a Vuelta aqui!

gettyimages_602415628_670
Magnus Nielsen (Orica-BikeExchange) foi o grande campeão da última e derradeira etapa da Vuelta a España 2016 (Getty).

A etapa de hoje,  trouxe muitas conclusões a respeito dessas três semanas e do ciclismo como um todo. A primeira é que o ciclismo está se tornando cada vez mais global, onde tivemos, assim como no Tour de France, ciclistas de diferentes países vencendo e se destacando, saindo um pouco daquele epicentro França-Espanha-Itália-Países Baixos. Foi muito bom ver nossos amigos sul-americanos andando com tanta raça e vontade, foi, sem dúvida, a melhor competição para nós latinos até a presente data, confirmando a globalização do esporte e a perspectiva de que a partir do investimento em estrutura e em talentos tudo é possível.

20165713_334147_670
Madri presentou a todos com uma linda festa, e o pelotão deu um colorido a mais na bela cidade.

Além disso, foi possível verificar que os dois ciclistas mais fortes da atualidade são, sem dúvidas, Nairo e Froome. Assim como no MTB, onde o esporte é dominado por dois atletas (Nino e Absalon), no ciclismo de estrada, estas duas feras mostraram que, pelo menos em Gran Tours, eles são os mais completos e vem sempre com a melhor preparação. Acreditamos que as equipes fizeram a grande diferença nesta Vuelta, com a Movistar vindo com um time simplesmente imbatível, os caras estavam muito fortes. A Sky deixou a desejar, e talvez Froome precisaria de mais apoio para brigar com Quintana, que relmente estava mais forte.

sptdw7058_670
Alberto Contador foi quarto geral e considerado o atleta mais agressivo da competição (TDW).

Nairo e Froome fizeram preparações similares este ano, começando com competições de uma semana, evitando clássicas, e participando do Tour de France. Froome ainda correu o crono das olimpíadas e conseguiu andar em um nível muito alto na Vuelta, claramente mostrando que ele é capaz de atingir e manter o pico da forma física por bastante tempo, assim como Quintana. Como foi dito por Esteban Chaves em uma entrevista que publicamos aqui no site, “É de tirar o chapéu o que os dois fizeram”.

gettyimages_602414094_670
Pelo último dia da competição, Nairo Quintana foi escoltado pela Movistar. Grande atuação de todo o time nestas três semanas! (Getty Images)

Com isso, Froome já se posicionou e disse que em 2017 irá tentar vencer umas das duplas: Tour/Vuelta ou Giro/Tour, acreditamos que a meta dele em 2016 já era essa, pois veio em um nível jamais visto na Vuelta. Mas a 15a etapa, em que Contador e Quintana quebraram o pelotão com 1 km  de corrida e deixaram Froome às moscas, mudou toda a vida da Sky. Em 2017 se Froome quiser vencer aqui, já deve deixar claro na equipe que ele precisa de um time no mesmo nível da Movistar, se não Quintana vencerá novamente! 🙂 🙂

Veja o resumo da etapa:

Confira mais imagens desta etapa (TDWSport e Getty images):

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Resultados

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta