Doping: crescem as críticas sobre Bradley Wiggins

Saiba como!
Esta matéria tem o apoio delogo-bici

Crescem as especulações de doping dentro do time da Sky e da equipe da Grã-Bretanha. Vários atletas estão sendo questionados e investigados, tudo devido ao vazamento de informações que ocorreu após um ataque de hackers à base de dados da UCI.

Confira a matéria aqui: Hackers tem acesso a dados de Froome, Wiggins e mais atletas

Os dados são referentes a práticas de uso de substâncias que, em teoria, deviam ser utilizadas pelos médicos das equipes para tratamentos alérgicos ou inflamações nos atletas, o que é conhecido por TUE, sigla para Autorização de Uso Terapêutico em português, ainda não considerado Doping pela UCI ou pela WADA.

Com isso, as especulações são sobre a possibilidade desta prática incrementar a performance dos atletas. Assim, crescem as críticas sobre os campeões do Tour, Chris Froome e Bradley Wiggins, ambos aparecem nos documentos descobertos pelos hackers. Os  dois atletas, que venceram o Tour de France defendendo a equipe Sky, tem rebatido as críticas dizendo que estavam sendo tratados de problemas com asma e outros problemas respiratórios, mas é difícil crer que isto seria feito nas vésperas de uma grande prova como o Tour de France. Esta semana o velocista Marcel Kittel (Etixx-QuickStep) disse que se algum atleta tiver um problema grave de asma, este não deveria estar praticando um esporte tão exigente, ainda mais no nível competitivo.

Além disso, crescem as críticas para com a UCI (União Ciclística Internacional), que mantém dados não revelados de diversos atletas e não questionam os métodos realizados pelas grandes equipes. Pelo jeito, ao terminar esta temporada, as notícias sobre ciclismo, mais uma vez, irão voltar seus olhos sobre as práticas para aumentar o rendimento dos atletas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta