Análise: Percurso da Vuelta a España 2017

Saiba como!
Esta matéria tem o apoio delogo-bici

A terceira grande volta da temporada, a Vuelta a España, que acontece na terceira semana de agosto apresentou o percurso da edição deste ano. Serão 21 etapas com 9 chegadas “ao alto”, uma a menos do que na edição de 2016, mas o percurso poderá ser ainda mais duro, com a presença das principais cadeias montanhosas da Espanha. Segundo Alejandro Valverde (Movistar), será uma “Vuelta para escaladores, com toda certeza!”.

Veja também: Movistar renova por 3 anos com Rubén Fernández

Veja também: Vuelta a España: Brambilla vence em nova reviravolta

Como acontece todos os anos, um fortíssimo pelotão, formado principalmente por escaladores de primeira linha, participa da Vuelta, que nos últimos anos tem proporcionado para os telespectadores as maiores disputas por etapa da temporada, com finais agressivos e muitas, mas muitas mesmo, montanhas no trajeto. Isso, por um lado tem sido bom, por trazer desafios para os escaladores testarem seus limites, mas por outro, tem afastado passistas e velocistas da competição. Pensando nisso, a edição da Vuelta 2017 procurou balancear o percurso não só com montanhas (como em 2016, que foi uma edição muito criticada pelos atletas, considerada uma das voltas mais duras da história), mas com longos contra-relógios e algumas etapas planas, para que os velocistas também possam mostrar o seu talento.

Nairo Quintana e Alejandro "Bala" Valverde (Movistar)
Nairo Quintana foi o campeão na edição de 2016, mas será Alejandro “Bala” Valverde que liderará a Movistar  em 2017 na prova.

Após alguns anos utilizando a receita de que a primeira semana tem que ser animada, os organizadores do evento se contrapunham aos do Tour de France, que geralmente fazem uma primeira semana voltada para os velocistas. Mas, em 2017 a primeira semana será um pouco menos dura, e terá apenas a 5a com chegada em Ermita Santa Lucia, com um final explosivo, mas que não deve causar grandes gaps na classificação geral. A grande chegada ao alto vem apenas na 8a etapa, com chegada no Xorret de Catí, que deve mostrar quem realmente veio para a competição para vencer.

Angliru é a montanha da morte na penúltima etapa

A organização trará, novamente, o mítico e monstruoso Angliru, que será escalado na penúltima etapa. O Angliru é uma daquelas montanhas que podem definir o vencedor da prova, mesmo acontecendo na penúltima etapa, será um dos grandes momentos da temporada! Apenas para se ter uma ideia, em todas as edições em que o Angliru esteve presente, ele proporcionou uma grande briga pela geral e até mesmo definiu o vencedor, como em 2011 (JJ Cobo)  e em 2013 (Cris Horner).

20165710_333949_670
O penúltimo dia das grandes voltas são destinados à decisão da geral, na edição de 2017 da Vuelta será o Angliru a montanha escolhida como palco da batalha.

Abertura com Contra-relógio por equipes, na França!

A abertura com Contra-relógio por equipes é um espetáculo a parte, e trará a presença de grandes passistas ao evento, além de proporcionar às equipes que possuem bons velocistas, a chance de disputar a liderança nas etapas seguintes por meio dos bônus nas chegadas. Equipes como a BMC, Orica-Scott, Etixx-QuickStep, Katusha-Alpecin e Bora-Hansgrohe devem levar seus melhores contra-relogistas e velocistas, o que deve elevar ainda mais o nível do evento.

Além disso, o crono na etapa 16 deve fazer com que os atletas especialistas nesse tipo de prova não deixem o evento tão cedo, o que geralmente acontece pois eles acabam preferindo dedicar seus treinos para o Mundial, que acontece alguns dias após a Vuelta, ao invés de ficar subindo montanhas a fio na competição, mas colocar esta etapa no 16o dia é uma boa escolha.

Veja os melhores momentos da edição de 2016:

Etapas da Vuelta a España 2017 (em vermelho as etapas decisivas)

Etapa 1: Nîmes (França), 13.8km (TTT)
Etapa 2: Nîmes (França) – Gruissan (França), 201km
Etapa 3: Prades (França) – Andorra la Vella (Andorra), 158.5km
Etapa 4: Escaldes (Andorra) – Tarragona (Espanha), 193km
Etapa 5: Benicassim – Ermita Santa Lucia, 173.4km (Chegada na montanha 1)
Etapa 6: Vila Real – Sagunto, 198km
Etapa 7: Lliria – Cuenca, 205.2km
Etapa 8: Hellín – Xorret de Catí, 184km (Chegada na montanha 2)
Etapa 9: Orihuela – Cumbres del Sol, 176.3km (Chegada na montanha 3)
Primeiro dia de descanso
Etapa 10: Caravaca de la Cruz – ElPozo Alimentación, 171km
Etapa 11: Lorca – Calar Alto, 188km (Chegada na montanha 4)
Etapa 12: Motril – Antequera, 161.4km
Etapa 13 Coín – Tomares, 197km
Etapa 14: Écija – La Pandera, 185.5km (Chegada na montanha 5)
Etapa 15: Alcalá la Real – Sierra Nevada, 127km (Chegada na montanha 6)
Segundo dia de descanso
Etapa 16: Circuito de Navarra – Logroño, 42km (ITT)
Etapa 17: Villadiego – Los Machucos, 180km (Chegada na montanha 7)
Etapa 18: Suances – Santo Toribio de Liébana, 168.5km (Chegada na montanha 8)
Etapa 19: Caso – Gijon, 153km
Etapa 20: Corvera – Angliru, 119.2km (Chegada na montanha 9)
Etapa 21: Arroyomolinos – Madrid, 101.9km

Comentários

Be the first to comment

Deixe uma resposta