O verdadeiro motivo da saída de Tony Martin da Quick-Step?

Campionati del Mondo Doha 2016
Saiba como!
Esta matéria tem o apoio delogo-bici

Após mais de 6 meses do final do Tour de France 2016, o que pode ter sido o verdadeiro motivo da saída do atual campeão mundial de contra-relógio, Tony Martin, da Etixx (Atual Quick-Step Floors), veio à tona: o alemão desobedeceu ordens da equipe durante uma das etapas do TdF.

Trata-se da etapa 16, dia em que ele e seu companheiro de equipe, Julian Alaphilippe, fizeram uma fuga durante 180 quilômetros e que, no final do dia, rendeu aos dois a divisão do prêmio de combatividade da etapa.

Os ciclistas da Etixx-QuickStep, Tony Martin e Julian Alaphilippe, durante a premiação dos mais combativos da etapa.

Com a fuga iniciada, a equipe logo percebeu que estava condenada ao fracasso e o diretor esportivo, Brian Holm, pediu aos seus ciclistas que tirassem o pé e voltassem ao pelotão para ajudar Marcel Kittel. O pedido, feito várias vezes, não foi atendido e Tony Martin, junto com Alaphilippe, continuaram a fuga e, apesar das horas de publicidade para a equipe, a rebeldia aparentemente não foi bem resolvida deixando o ambiente bastante conturbado.

Coincidência ou não, Martin não terminou o TdF devido a um problema mecânico em pleno Campos Elíseos, na última etapa do Grand Tour. Segundo fontes do canal esportivo belga Sporza, Tony foi boicotado já que a equipe não ofereceu uma bicicleta de reposição. O certo é que o ciclista alemão foi o único a abandonar a etapa de fechamento do TdF 2016 e meses depois acabou fechando contrato com a Katusha.

Veja aqui como foi a etapa 16 do TdF 2016.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta