STDU: Elia Viviani bateu o martelo na terceira etapa

O campeão olímpico da prova de Omnium, Elia Viviani (QuickStep-Floors), deixou sua marca na terceira etapa do Santos Tour Down Under. Após as vitórias de Andre Greipel e Caleb Ewan nas duas primeiras etapas, Viviani mostrou que o nível técnico da principal volta ciclística da Austrália está fazendo com que os ciclistas tenham que realmente suar a camisa para vencer.

Durante a etapa aconteceram ataques de ciclistas que já haviam participado nas fugas dos dois primeiros dias, Nicholas Dlamini (Dimension Data) e Scott Bowden (UniSA-Australia), fazendo dessa terceira etapa um Dejá vu. Após conquistar os pontos e ampliar a liderança da camisa de montanha, Nicholas Dlamini retornou ao pelotão e deixou Bowden solitário na fuga, que foi anulada quando faltavam 20km para o final da prova, momento em que a média horária do pelotão estava em 39km/h.

Veja também:

STDU 2018: Ewan não se deixa abater e vence a segunda etapa

STDU 2018: Greipel bate Sagan e Ewan e vence a primeira etapa

Santos Tour Down Under 2018

Mitchelton-Scott controlando o pelotão (Getty).

Logo após o pelotão pegar Bowden, todos esperavam aquele rito de embalo dos velocistas para a chegada, mas o português Tiago Machado (Katusha-Alpecin) não estava a fim de esperar e atacou forte, colocando um ritmo que já o ajudou a ser campeão português de contra-relógio e que é uma de suas melhores características. A fuga de Machado alcançou o máximo de 20 segundos de vantagem, sendo controlada por equipes como EF Education First-Drapac p/b Cannondale, Mitchelton-Scott e Team Sunweb, que o alcançaram nos quilômetros finais da etapa.

Depois da etapa, Manuele Boaro (Bahrain-Merida) e o resto do pelotão seguiu direto para a praia para se refrescar do calor de 40 graus (Getty).

O sprint foi caótico, com várias curvas antes de entrar na reta final, o posicionamento era crucial para a vitória, e, pensando nisso, a equipe Mitchelton-Scott deixou Caleb Ewan de “cara para o gol” e ainda com Alex Edmondson como último embalador. Todavia, apesar de estar mal posicionado, Elia Viviani veio passando muito forte seus oponentes e deixou Ewan comento poeira. Ao final, o alemão Phil Bauhaus ainda conquistou o segundo lugar, sendo ele uma das promessas de renovação do ciclismo alemão, um talentoso velocista que ainda pode dar muitas vitórias para a Sunweb.

Veja também:

Alejandro Valverde se diz 100% recuperado e tem fome de vitórias!

Belga de 23 anos se retira do ciclismo profissional.

Ciclistas que se retiraram em 2017

Imagem bem sugestiva sobre esse pelotão de ciclistas sobre-humanos! 🙂 (Getty)

A vitória de Viviani veio em boa hora, começando o ano com o pé direito na nova equipe QuickStep-Floors, após sair da Sky, e mostrando que seu talento ainda deve trazer muitas glórias do time belga. “Ainda preciso melhorar um pouco a velocidade e trabalhos específicos para essa temporada, mas tenho tido boas sensações e começar o ano com vitória é algo muito bom para mim e para minha equipe, devo tudo a eles”, disse Viviani à TV Australiana, que tem seguido todos os passos dos melhores ciclistas do mundo nessa rápida passagem que eles fazem anualmente ao país.

O português Tiago Machado arriscou uma fuga nos últimos quilômetros.

Mais imagens da etapa:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja vídeos da etapa:


Resultados

Comentários