Dauphiné: Navarro perde a 50 metros do fim depois de estar em fuga durante toda etapa

Saiba como!

O espanhol Daniel Navarro (Cofidis) merecia a vitória da última etapa do Critérium du Dauphiné, mas ela não veio. O espanhol que não ganha uma etapa desde de 2014, mas é sempre muito combativo, participou da fuga do dia, conseguiu manter o jovem David Gaudu (Grupo-FDJ) sempre por perto e quando viu a oportunidade partiu para a vitória. Dani Navarro parecia que repetiria o que fez seu conterrâneo Pello Bilbao no dia anterior, mas sem conseguir demonstrar a mesma força do ciclista da Astana, ele acabou sendo ultrapassado, nos últimos metros, pelo inglês Adam Yates que acabou vencendo a etapa depois de uma intensa batalha contra Geraint Thomas (Team Sky) e Romain Bardet (AG2R).

Dani Navarro fazia parte do grupo de fuga que se formou na primeira hora da etapa de 136 quilômetros repleta de montanhas. Eram 5 escaladas a mais tranquila com 2,7 km e 11,2%.

Navarro fez o que dava, terminou exausto.

A fuga foi formada por Dani Navarro, David Gaudu (FDJ), Edward Ravasi (UAE – Emirados Árabes Unidos), Antwan Tolhoek (Lotto-Jumbo), Pierre Rolland (EF-Drapac) e Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors), e logo abriu cerca de 2 minutos de vantagem para o pelotão.

David Gaudu (FDJ), 21 anos! Fiquem de olho nele!

Mas como não existem etapas tranquilas em provas de uma semana, logo a AG2R, do francês Romain Bardet, assumiu a ponta do pelotão e tornou as coisas difíceis. Apesar da alta velocidade os principais favoritos permaneciam protegidos no pelotão quando o líder da prova, Geraint Thomas furou pneu. Ele rapidamente trocou de roda com o italiano Moscon e partiu na captura do grupo, mas a AG2R não diminuiu e a Sky teve que fazer muita força para encostar novamente no grupo.

Quem também teve problemas foi o luxemburguês Bob Jungels (Quick-Step Floors) que caiu, mas apesar do susto terminou a etapa e nada foi constatado de mais grave.

Na escalada final David Gaudu atacou o grupo fugitivo e partiu solo sendo seguido por Dani Navarro. Atrás vários ataques de Bardet aconteciam, mas, mais uma vez o jovem gregário da Sky, Tao Geoghegan Hart, respondia por Thomas, com Adam Yates (Mitchelton-Scott) e Pierre Latour (AG2R La Mondiale) na roda.

Bardet lançando um de seus ataques e Tao Geoghegan Hart fazendo um de seus últimos esforços para ajudar Geraint Thomas.

No final Gaudu foi alcançado e ultrapassado por Dani Navarro, enquanto um pequeno grupo formado por Thomas, Adam Yates, Emanuel Buchmann (Bora-Hansgrohe), Daniel Martin e Romain Bardet escalavam sempre com um ou outro tentando alguma coisa, mas sempre neutralizados por Tao ou outro adversário.

Os 5 favoritos pareciam que não alcançariam mais Dani Navarro quando Romain Bardet atacou e finalmente Thomas demonstrou que não conseguiria seguir. Yates, percebendo o momento de fragilidade do líder da prova, foi na roda do francês e faltando pouco mais de 200 metros para o final da etapa deixou Bardet para trás e saiu em alta velocidade em busca da vitória improvável.

Tao Geoghegan Hart de 23 anos foi essencial para a vitória de Geraint Thomas. O jovem inglês foi também peça fundamental para vitória do colombiano Egan Bernal no Tour da Califórnia. Foto: Tim de Waele/Getty Images

Navarro tentava de tudo, mas evidentemente estava exausto e, a 50 metros do final, na última curva, viu o irmão gêmeo de Simon, Adam Yates, passar para vencer a última etapa da Volta.

Navarro conseguiu cruzar em segundo deixando o francês Bardet em terceiro, Buchmann em quarto e Thomas  em quinto, perdendo dezenove segundos, muito pouco para perder a vitória geral do Critérium du Dalphiné.

Geraint Thomas (Team Sky) vence o Critérium du Dauphiné 2018. Foto: Tim de Waele/Getty Images

Vídeo da etapa:


Resultados:

Comentários