Mega Operação antidoping na Volta a Portugal!

Saiba como!

As autoridades anti-dopagem tem deixado as equipes preocupadas na tradicional Volta a Portugal. A “grandíssima”, apelido carinhoso para a principal competição portuguesa, que começou na semana passada e hoje passou pela cidade de Visel, tem sido uma das provas mais duras do calendário europeu, seja pelas montanhas duras, seja pelo calor ou pelo altíssimo nível dos ciclistas que participam da competição.

Todavia, o alto nível tem aumentado o uso de substâncias ilícitas, tanto é que em 2017 ocorreram alguns casos de doping, como os ciclistas da equipe brasileira FUNVIC, que perdeu Ramiro Rincón e Canibal por exames realizados na competição. Esta semana a prova segue em busca dos “fora da lei”, com exames sendo realizados pela Autoridade Antidoping de Portugal (AdOP), com um total de 42 ciclistas já controlados pela urina e passaporte biológico.

Veja também: 

A BMC Team Machine do líder do Tour de France, Greg Van Avermaet

Tour de France: segunda vitória do fenômeno Fernando Gaviria

Tour de France: Sagan vence a segunda etapa e é o camisa amarela

O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), campeão da Volta em 2017 e vencedor das terceira e quarta etapas, mantém-se na liderança da corrida, com 52 segundos de vantagem sobre Jóni Brandão (Sporting-Tavira), que ocupa o segundo lugar, e 1:41 sobre o compatriota Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano), que segue em terceiro.

Na terça-feira, o pelotão terá o único dia de descanso da prova, antes de retomar à corrida, na quarta-feira, com os 165,4 quilómetros da ligação entre Sernancelhe e Boticas.

Comentários