TOP 10 – Irmãos no Ciclismo

Juraj, campeão da Eslováquia, e Peter, campeão do Mundo. Ambos pela Bora-Hansgrohe
Saiba como!

Faaaala galera! Mais uma matéria da nossa coluna Dominical aqui no Digital Cycling.

Dessa vez vamos de TOP 10 – IRMÃOS NO CICLISMO.

O ranking para esse TOP 10 da foi feito procurando colocar antes as duplas mais desparelhas, até chegarmos as mais parelhas.

Pode ser que alguns de vocês estranhem a falta de alguns nomes, como os da família Henao. É que apesar de possuirem o mesmo sobrenome alguns NÃO SÃO IRMÃOS. Nesse caso específico eles são, respectivamente, tio e sobrinho.
Então vamos parar de enrolação e começar esse ranking.

10 – Bartali
A dupla mais antiga aqui do ranking e com pouca informação: Gino e Giulio Bartali.
Gino, o mais velho, possui uma história fantástica e um currículo vasto onde se destacam 3 Giro d’Italia, 2 Tour de France e 4 Milan-Sanremo. Já Giulio, não foi encontrado nenhum resultado em provas. Gino teve que ficar alguns anos parados durante o período da II Guerra e arriscava a vida entregando cartas, essa história é contada no livro Leão da Toscana. Giulio teve uma morte precoce devido a um erro de um cirurgião.

PS: Logo teremos a resenha do livro “O Leão da Toscana” por aqui. Aguardem!

Gino Bartali em ação. (não foram encontrados registros com o irmão)

9 – Nibali
Seguimos com a dupla Antonio e Vincenzo Nibali, com 26 e 34 anos. O mais velho, como todos (ou a maioria de nós) já conhecemos bem, é um dos poucos que já venceu os 3 Grand-Tour, além de vencer 3 Clássicas Monumento e diversas outras vitórias na carreira. Já o jovem Antonio é pouco conhecido, começou a correr na mesma equipe que o irmão Vincenzo apenas a partir de 2017 pela Bahrain-Merida e possui apenas uma vitória como profissional, em uma etapa do Tour da Austria.

Antonio e Vincenzo Nibali, em apresentação pela Bahrain-Merida

8 – Indurain
Passamos pra dupla Prudencio e Miguel Indurain.
Aqui um caso em que o mais velho possui um amplo destaque sobre o mais novo. Miguel, hoje com 54 anos, é 5x vencedor do Tour de France, 2x do Giro D’Italia, Campeão Mundial de Contra-Relógio, além de diversas outras vitórias. Já Prudencio, 50, possui apenas 3 vitórias na carreira. Ele correu na mesma equipe do irmão mais velho até a aposentadoria de Miguel, depois correu apenas mais 3 anos.

Os irmãos Prudêncio e Miguel Indurain, durante o Giro D’Itália

7 – Sagan
Agora é a vez de Juraj e Peter Sagan.
Aqui temos um caso em que o MAIS NOVO É O MAIS CONHECIDO. Juraj, que é o mais velho, trouxe o irmão Peter para o ciclismo, mas, apesar de sempre ter sido o mais dedicado e disciplinado, o jovem Peter sempre teve mais destaque e muitas, mas muitas conquistas (sabe aquela história que, as vezes, a pessoa tem um “Dom”).

O currículo do Sagan mais novo é invejável, 3x campeão mundial, inúmeras vitórias de etapas em Grand-Tours, 6x camisa Verde no Tour de France, 6x Campeão Nacional, Tour de Flandres, Paris-Roubaix e diversas outras clássicas, já Juraj, que está com 30 anos, venceu apenas 2x campeonato nacional de seu país natal. Um fato curioso é que desde que Peter se tornou profissional, em 2009, eles sempre correram na mesma equipe. Muito provável que haja uma cláusula no contrato do Peter, que “obrigue” a equipe contratante a levar o mais velho.

Juraj, campeão da Eslováquia, e Peter, campeão do Mundo. Ambos pela Bora-Hansgrohe

6 – Quintana
Os colombianos da cidade de Boyacá, Nairo e Dayer Quintana, 29 e 26.
Nairo vem tendo um grande destaque na equipe Movistar desde o Tour de France de 2012 e já acumula vitórias na Classificação Geral da Vuelta a España, Giro d’Italia, Tirreno-Adriático e outras. É também uma esperança Colombiana para vencer um Tour de France. Dayer correu com o irmão de 2014 a 2018, mas em 2019 ele resolveu seguir os próprios passos e foi para a equipe italiana Neri-Sottoli-Selle Italia-KTM. Dayer tem um currículo bem modesto, obtendo destaque na Volta de San Luís em 2016.

Nairo e Dayer Quintana, durante o Tour de San Luis de 2016, vencido pelo Dayer

5 – Van Poppel
Agora a dupla de Sprinters Boy e Danny Van Poppel, com 31 e 25 anos.
Aqui, assim como no caso dos irmãos Sagan, o mais novo é mais talentoso e mais vitorioso. Danny já acumula 15 vitórias, enquanto o irmão mais velho, Boy, apenas 3. Correram juntos apenas pela Trek Factory em 2014 e 2015.

Danny e Boy Van Poppel, ambos ainda pela Vacans-Oleil

4 – Planckaert
Pela primeira vez, ao invés de duplas, temos um trio. O trio ‘Planckaert’ é composto por Baptiste, Edward e Emiel, com 30, 24, 22 anos. Baptiste, o mais velho, conta com 3 vitórias na carreira, destaque para a classificação geral no Tour da Normandia em 2016. Edward e Emiel se tornaram profissionais em 2017 e ainda não possuem vitórias. Os dois mais jovens correm pela Sport Vlandeeren-Baloise, enquanto Baptiste segue seus trilhos na Wallonie-Bruxelles

Baptiste (Katusha-Alpecin) Edward e Emiel (Sport-Vandeeren) Planckaert

3 – Izagirre
Gorka e Ion Izagirre, espanhóis da região do País Basco, 31 e 30.

Ambos tem como características provas bem acidentadas e voltas de 1 semana. Correm juntos desde 2011, passando por Euskaltel-Euskadi, Movistar, Bahrain-Merida e hoje estão na Astana. Ion possui possui um pouco mais de destaque em relação a Gorka.

Gorka Izagirre, com a camisa de campeão Espanhol, e Ion Izagirre, pela Bahrain-Merida. Hoje a dupla faz parte do Team Astana

2 – Schleck
A dupla mais emblemática desse ranking todo: FRÄNK E ANDY SCHLECK.

Os luxemburgueses fizeram sucesso nas corridas nos anos 2000 e hoje 38 e 33 anos. Sempre correram juntos. Fränk se destaca por uma Amstel Gold-Race, uma classifição geral no Tour da Suiça, além de etapas no Tour de France e Vuelta a España. Já o ‘jovem’ Andy, se destacou por seus embates marcantes, principalmente com Alberto Contador, no Tour de France. Andy venceu um Tour de France e uma Liege-Bastogne-Liege.

Fränk e Andy Schleck, pela Radioshack-Leopard. Ambos já estão aposentados

1 – Yates
Nos dias de hoje, os que estão mais em evidência são os jovens gêmeos britânicos Adam e Simon Yates. Ano passado Simon Yates teve mais destaque, ele venceu 3 etapas no Giro D’Italia e estava brigando com Froome pela Classificação Geral, mas acabou derrotado. No final do ano venceu a Vuelta a España. Adam Yates anda muito também e se destaca com um TOP 5 no Tour de France, além de vencer a Classica San Sebastian e etapas na Tirreno-Adriático e Critérium Dauphiné.

Adam e Simon Yates, ou será Simon e Adam Yates ? É dificil diferenciar os gêmeos

BONUS
Atherton
O Trio Dan, Gee e Rachel Atherton, com 37, 33 e 31. São os irmãos que correm no Downhill. Um resumão da carreira de cada um:
– Dan: As vitórias mais importantes são um campeonato nacional e uma Copa do Mundo na modalidade 4X
– Gee: Campeão Nacional, Europeu, 2x Mundial, 5x Copa do Mundo. Todas no Downhill
– Rachel: (SE SEGUREM NA CADEIRA, PORQUE AQUI VAI PEDRADA) 5x Campeã Mundial, 6x Campeã da Copa do Mundo (com vitória em 37 etapas), 6x Campeã Nacional. Também no Downhill

Rachel, Gee e Dan Atherton ! Família de respeito no MTB Downhill

Fluckiger
Lukas (35) e Mathias (30), são suíços corredores do Mountain Bike, na modalidade Cross-Country Olímpico (XCO). Merecem menção honrosa.

Irmãos Fluckiger em ação na Cape-Epic

 

Sobre Estagiário 14 Artigos
Menos conhecido por Giovanni Santana, é graduando em Engenharia de Aquicultura (UFPR). Ciclista de fim de semana, entusiasta e corneta em tempo integral.