TOP 10 – Mulheres no Ciclismo

Vogel desfilando com uma de suas várias Camisas Arco-Íris!
Saiba como!

Ser mulher, por si só, nunca foi uma tarefa fácil. São anos de luta para conquistar o seu espaço em meio há um mundo extremamente machista. Só por toda essa luta já daria pra falar que elas são guerreiras demais e longe de ser aquele ser frágil que muitos acreditam ser.

As mulheres são importantes não só pela função de mãe, esposa e dona de casa, mulheres são extremamente importantes na ciência, na medicina, na educação, na política, na arte e também no esporte. E, além de tudo isso, ela ainda pode, se quiser, gerar uma vida. 🙂

Respeito e igualdade é o que todas as mulheres merecem!

E  hoje, dia 8 de Março, foi oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional da Mulher em 1975. Mas essa data já é lembrada desde o início do século XX. A origem da data tem explicações variadas, aqui no Brasil, a história que nos acostumamos a ouvir, é a da Fábrica que se incendiou, tirando a vida de 125 mulheres.

Então, hoje, nada mais justo que homenagearmos algumas mulheres que fizeram e ainda fazem a história do esporte que tanto gostamos.

Novamente é bem provável que eu seja injusto e tenha esquecido de alguns bons nomes, mas sintam-se a vontade para mandar por comentários, tweets e outros.

10 – Lizzie Deignam

Ciclista britânica, 30 anos, Lizzie teve início no ciclismo de pista, em 2005 e permaneceu até 2009. Acumulando títulos Nacionais, Europeus, de Copa do Mundo de Ciclismo de Pista e até mesmo em Mundial. De 2009 em diante passou a focar no Ciclismo de Estrada, onde venceu clássicas como Tour de Flandres, Strade Bianche, Omloop Het Nieuwsblad. Sagrou-se campeã também da Copa do Mundo Feminina da UCI (somatório de pontos de diversas provas ao longo da temporada). Seu título de maior destaque é o Campeonato Mundial de Estrada em 2015.

Lizzie em ação, quando corria pela Boels-Dolmans. Hoje ela pertence a Trek

9 – Gunn-Rita Dahle
A veterana norueguesa, é fera no Mountain Bike Cross Country (XCO) e Marathon (XCM). Formada em Jornalismo, iniciou sua carreira ciclistica com 22 anos. E ao longo de mais de 20 anos de carreira, acumulou 18 medalhas de ouro em Mundiais e Campeonatos Europeus. Vencedora também de 30 etapas da Copa do Mundo de MTB XCO, sendo campeã geral 4x consecutivas (2003-06). Além de ter ganho ouro nas Olimpíadas de Atenas em 2004!

Gunn-Rita correndo nas Olimpíadas Rio 2016. Prova que ela conclui em 10ª

8 – Beryl Burton
Beryl, é britânica, e foi apresentada ao ciclismo por seu marido. Iniciou nas competições em 1956. Venceu 2x o Mundial de Estrada e possui 5 Ouros em Mundiais de Pista.

Em corridas locais, Beryl era imbatível, vencendo por 25 anos seguidos, o Contra-Relógio Britânico. E 12x o Nacional de Estrada. Em 1968 ela entrou como Membra da Ordem do Império Britânico

Beryl voando baixo!

7 – Yvonne Reinders
Yvonne é belga, e junto com Beryl Burton, foi uma das melhores ciclistas da década de 60. Ela iniciou no atletismo e após dicas de seu treinador, mudou-se para o ciclismo. Acho que temos que agradecer a ele! Ao todo, Yvonne levou 4x o Mundial de Estrada e 3 Ouros em Mundiais de Pista.

Yvonne Reinders, mandando ver no ciclismo de pista!

6 – Anna Meares
Anna é Australiana, e fez sua carreira toda no ciclismo de Pista. É de longe a corredora mais bem sucedida em sua especialidade. Anna possui o recorde de vitórias mundiais, junto com Kristina Vogel.

Ao todo seu currículo, acumula: 2 Ouros, 1 Prata e 3 Bronzes Olímpicos; 11 Ouros, 9 Pratas e 6 Bronzes em Mundiais; 5 Ouros, 2 Pratas e 1 Bronze nos Jogos Commonwealth.

Anna Meares no lugar mais alto do pódio. Cena mais do que comum durante sua carreira!

5 – Pauline Ferrand-Prevot
Pauline é uma das maiores realidades do ciclismo Francês. Surgiu nas categorias Junior por volta de 2009, conseguindo resultados espetaculares, como campeã Europeia de Contra-Relógio, Campeã Mundial Junior (2010), e bi-campeã Nacional.

Pauline, também é uma corredora multidisciplinar: Estrada, MTB XCO, Cyclocross. Inclusive, conseguiu um feito único: Ser dona de 3 camisas de Campeã Mundial NO MESMO ANO. Isso ai, ela venceu o Mundial de Estrada, de MTB XCO e de Cyclocross, no ano de 2014. Tudo com apenas 23 anos!!!

Ainda acumula vitórias em diversos campeonatos nacionais e uma vitória na Fleche Wallone Feminina.

Seria a Rainbow Jersey a camisa favorita dela ?

4 – Jeannie Longo
Jeannie, francesa, começou a correr em 1975 e correu até 2012. É considerada a melhor mulher de todos os tempos, mas essa fama é rodeada das nuvens negras do doping. Sua especialidade era o ciclismo de estrada, Jeannie levou 14x Nacional de Estrada, 10x Nacional de Contra-Relógio, 5x Campeã Mundial de Estrada e 4x Campeã Mundial de Contra-Relógio.

Falou em Campeã Nacional, falou em Jeannie Longo!

3 – Van der Breggen
Anna Van der Breggen, a holandesa também conhecida como a RAINHA DAS ARDENAS, Anna nasceu em uma família cujos irmãos e irmã já andavam de bicicleta, e aos 7 já competia no clube do vilarejo. Em 2007, com 17 anos já estava disputando o Mundial de Junior no ciclismo de Pista. Tornando-se profissional em 2012, chamando muita atenção, sendo chamada até pra ser gregaria da Marianne Vos no Mundial.

Van der Breggen já levou 2x o Giro D’Italia Feminino, Tour da California e algumas outras Voltas de 1 Semana. Nas clássicas, conseguiu vencer a tripleta das Ardenas no mesmo ano: Amstel Gold Race(2017), Fleche Wallone(2015, 2016, 2017 e 2018) e Liege-Bastogne-Liege (2017 e 2018). Feito rarissimo, conquistado apenas por Davide Rebellin e Phillipe Gilbert na categoria masculina.

Anna ainda é Campeã Olímpica de Estrada, aqui no Brasil, Campeã Mundial de Ciclismo de Estrada. Além de Tour de Flandres, Omloop, Strade Bianche, Campeã Nacional e Europeia de Contra-Relógio.

Anna Van der Breggen vencendo a prova Olímpica no Rio em 2016

2 – Marianne Vos
Marianne, holandesa, possui o apelido de ‘Canibal’, isso mesmo, igual o de ninguém menos que Eddy Meckxx, e isso já dá uma pista de como ela é. Vos iniciou sua carreira em 2002 já vencendo o campeonato nacional junior de MTB XCO.

Marianne é uma corredora multidisciplinar, disputando provas na Estrada, no MTB XCO, na Pista e até no Cyclocross. De 2002 pra cá, ela acumulou diversos títulos, vamos analisar alguns deles:
20 etapas no Giro D’Italia Feminino (o Grand Tour mais prestigiado no circuito feminino), 3x Classificação Geral, 6x Campeã por Pontos e 1 título de Montanha.
Fleche Wallone 5x, Tour de Flanders, Copa do Mundo Feminina 5x, Campeã Mundial de Ciclismo de Estrada 3x, Campeã Mundial de Cyclocross 7x, Campeã Olímpica de Ciclismo de Estrada!

Marianne Vos vencendo a Prova Olímpica em 2012

1 – Kristina Vogel
Kristina é uma figura marcante nas provas de Ciclismo de Pista! Se você já assistiu alguma etapa de Copa do Mundo ou Mundial, você certamente ouviu o nome dela.

Ela está em número 1, não pelo número de títulos, mas sim pela trajetória. Apesar de ter um currículo de peso também com 2 Ouros Olímpicos, 1 Bronze; 11 Ouros Mundiais, 1 Prata, 4 Bronzes; 3 Ouros Europeus, 4 Pratas e 1 Bronze.

Vogel desfilando com uma de suas várias Camisas Arco-Íris!

Em Abril de 2009, Vogel se colidiu com um microonibus, e entrou em coma por 2 dias. Em 1 ano já estava novamente disputando o Mundial de Ciclismo de Pista.

Porém, o acidente mais grave de sua carreira foi mais recente, em 2018, durante treinos, Kristina se chocou a 60km/h com um atleta que estava treinando largada no partidor, em um velódromo de concreto. Vogel ficou paraplégica, e hoje têm de reaprender a viver, em entrevistas disse que não pretende voltar ao esporte pois é competitiva demais.

Kristina foi até o Campeonato Mundial de Ciclismo de Pista, agora em 2019. Onde foi ovacionada pelo público!

 

Deixo aqui, um espaço para homenagear as ciclistas brasileiras, que sabemos o quanto sofrem pra levar o nome do país pra fora em competições, como por exemplo: Flávia Oliveira, Clemilda Fernandes, Victória Remaili, Renata Falzoni, Ana Paula Polegatch, Camila Coelho, Débora Gérard, Luciene Ferreira, Fernanda Souza, Janildes Fernandes!

Feliz Dia das Mulheres, e os mais sinceros votos do Digital Cycling!

Sobre Estagiário 14 Artigos
Menos conhecido por Giovanni Santana, é graduando em Engenharia de Aquicultura (UFPR). Ciclista de fim de semana, entusiasta e corneta em tempo integral.