Strada Bianche: 10 favoritos para a batalha

Clique para contribuir!

Neste sábado acontece uma das principais provas do ciclismo mundial, a Strada Bianche, prova que passa pelas belas estradas de terra da região da Toscana, na Itália e que leva um grande número de grandes ciclistas em busca da vitória.

Nesta semana, o frio tem assolado a Itália e algumas cidades que há décadas não tinham neve, amanheceram cobertas pela nevasca. Com certeza o frio irá desempenhar um importante papel no resultado.

Kwiato: não mudarei meu foco das clássicas, por enquanto!

Abu Dhabi Tour: Phil Bauhaus vence a primeira do ano para a Team Sunweb

5 alimentos ricos em gorduras que ajudam a saúde e o desempenho

Confira o dossiê que preparamos com 10 nomes que podem vencer a prova e, logo depois, os links para assistir a prova online!

1 Michal Kwitkowski (Sky)

O atual campeão da prova e também vitorioso em 2014, Kwiato é um cara que não é grande, mas mete medo! Depois de vencer duas etapas de montanha no Tour de Algarve, ele mostra que está em grande forma e deve dar muito trabalho para ser marcado. A subida final é propícia para seus ataques, de modo que ele mostrou que é capaz de vencer de duas formas diferentes, tanto atacando de longe, como fez em 2017, quanto deixando para o último km onde bateu Peter Sagan em 2014. Ele é o cara a ser batido!

Kwiato, rumo à vitória na edição de 2017. Ele também venceu em 2014 e estará, este ano, em busca do inédito tri-campeonato!

Americano de 19 anos perde etapa do Dubai Tour, depois de mais de 170 Km escapado, a 50 metros do fim

Documentário mostra algumas das montanhas mais belas da Suíça para pedalar

A Argon 18 Gallium Pro da Astana

2 Peter Sagan (Bora-Hansgrohe)

Depois de afirmar que emagreceu 2kg essa temporada e já ter vencido algumas provas, o astro Peter Sagan vem para Siena com apenas uma meta: vencer. Após bater na trave várias vezes, ele e a comissão técnica da Bora fizeram um cronograma diferente, no qual ele não participou da Omloop Het Niewsblad e nem da Kuurne Brussels Kuurne, para ir aguardando um gás para o mundial no segundo semestre e também para chegar mais inteiro na Strada Bianchi. O grande duelo entre ele, GVA e Kwiato é esperado e se acontecer, será épico.

Peter Sagan é um dos grandes favoritos para a prova.

3 Greg Van Avermaet (BMC)

O campeão olímpico, GVA é um daqueles caras que sempre largam como favoritos, após um final de semana frustrante, no qual não conseguiu um bom resultado na Omloop Het Niewsblad, GVA deve vir com tudo para Siena e brigar com os grandes mais uma vez. Uma de suas características é seu potente ataque em subidas curtas e as estradas sinuosas que caracterizam a prova serão um prato cheio para que ele dê, mais uma vez, um show de ciclismo!

Greg Van Avermaet e Peter Vakoc subindo forte em 2017.

4 Zdenek Stybar (QuickStep)

O campeão de 2015, o polivalente Stybar, vem para a prova como o líder da potente equipe belga que será montada ao seu redor para trazer a vitória. Stybar foi quarto ano passado após uma grande perseguição a Kwiato, e nesse ano ele já vem mostrando uma grande forma, mas as vitórias ainda não vieram, a tendência é que ele faça de tudo para levar esse grande título para casa.

Zdenek Stybar bateu GVA para vencer a edição de 2015.

5 Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida)

Após um começo de temporada conturbado, com o abandono no Tour de San Juan na Argentina, antes mesmo de largar a primeira etapa com gripe, e depois a recuperação com um 12º lugar no Tour de Oman, Nibali é um daqueles ciclistas que em terras italianas é muito perigoso. As vitórias no final da temporada de 2017 indicavam que Nibali tem um pedigree e tanto para as clássicas montanhosas e ele sempre afirmou que seria um grande sonho sendo realizado a vitória na Strada Bianche (pelo jeito é o sonho de muita gente! :p )

Vincenzo Nibali é um nome que sempre coloca medo nos adversários.

6 Nathan Haas (Katusha)

Depois de mudar de equipe nessa temporada, vindo da Dimension Data, o australiano Nathan Haas é um daqueles ciclistas que tem várias capacidades: sobe bem, tem um sprint forte e anda bem escapado, atributos que podem ajudá-lo na disputa pela vitória. Após uma bela aparesentação no Tour de Oman, no qual venceu uma etapa e fez três top5, terminando em quinto na geral, Haas parece estar no auge de sua forma física, e em boa hora para conseguir grandes resultados nas clássicas.

Nathan Haas vem com tudo para a prova.

7 Sep Vanmarcke (Cannondale)

O holandês da Cannondale é um dos grandes favoritos nessa lista simplesmente porque ele destruiu na Omloop Het Niewsblad, no último sábado, o cara andou muito mesmo. Só para se ter uma ideia, o ataque de Vanmarcke com 2km para a chegada foi tão forte, que proporcionou a fuga que deu a vitória para Valgren. Além disso, em várias acelerações dele nas subidas mais duras, poucos eram capazes de segui-lo! Se ele não vencer aqui, uma coisa é certa, esse ano Vanmarcke não passa sem vencer uma grande clássica, é questão de tempo.

Sep Vanmarcke dá entrevista após seu 3º lugar na Omloop Het Niewsblad no último sábado, ele pode surpreender!

8 Wout Van Aert (Vérandas Willems-Crelan)

O atual campeão mundial de ciclocross continua sua inclusão nas clássicas do ciclismo e após uma bela apresentação na Omloop Het Niewsblad, na qual esteve no grupo decisivo do qual saiu a vitória de Michael Valgren (Astana), Aert mostra que está em grande fase e não seria de se impressionar uma vitória do belga aqui, ele tem tudo para vencer e terá um grande gregário para ajudá-lo: Stijin Devolder, vencedor de dois Tour de Flanders e fiel escudeiro de Fabian Cancelara. Com certeza, Aert será um ciclista bastante marcado nesta prova!

Wout Van Aert, se vencer, pode entrar para a história.

9 Moreno Moser (Astana)

Depois de vencer a abertura da temporada italiana no começo de fevereiro, no tradicional Troféu Laigueglia, o sobrinho de Francesco Moser parece estar de volta à sua melhor forma, e em bom tempo, haja vista a crise que ronda a equipe Astana e faz com que todos os atletas comecem a caçada por resultados para não ficar sem contrato ao final de 2018. Moser já vencer aqui em 2013 e tem todas as características para vencer a Strada Bianchi novamente: é agressivo, possui boa capacidade de andar escapado e sabe “ler” a corrida, atacando nas horas certas. A Astana ainda terá Alexey Lutsenko que está em grande forma e pode suportar muito bem o frio que assola a Itália essa semana, haja vista que no Cazaquistão, temperaturas negativas não são problema!

Moreno Moser vencendo, escapado, a abertura da temporada italiana, no Trofeu Laigueglia.

10 Tom Dumoulin (Sunweb)

Após fazer uma bela prova em 2017, Dumoulin, atual campeão do Giro d´Itália, parece ter gostado de correr na região da Toscana, que é onde fica Siena, a cidade sede da largada e chegada do evento. Dumoulin foi quinto ano passado e desempenhou um grande trabalho na prova, a Sunweb ainda terá Matthews como segundo líder, mas com certeza o passo forte do gigante holandês serão o diferencial da equipe para conquistar essa importante prova.

Após abrir a temporada no Abi Dhabi Tour, Dumoulin vem com muito gás para Siena e a fim de vencer a Strada Bianche.

Onde assistir

Não haverá transmissão televisiva para o Brasil, porém você pode acessar um dos links abaixo e acompanhar online.

ESPN WATCH

Link (Francês)

Link (Italiano)

Link (Italiano)

Link (Alemão)

Link (Inglês)

Link (Inglês)

Comentários