Elia Viviani bate o martelo debaixo de chuva e vence a 17ª etapa do Giro d’Itália

Saiba como!

Apesar do grande trabalho da Bora-hansgrohe que ajudou a Michelton-Scott a controlar a etapa, Sam Bennett não conseguiu parar o italiano Elia Viviani na disputa do sprint da 17ª etapa do Giro d’Itália. Esta é a quarta vitória do italiano nesta edição do Giro e com ela Viviani amplia sua vantagem sobre Bennett na disputa da camisa ciclamino de melhor velocista dessa edição da prova.

Veja como foi:

 

A 17ª etapa do Giro d’Itália teve 155 quilômetros e aparentemente não seria um percurso difícil, mas não foi o que aconteceu. O dia foi muito ativo desde o início, com várias tentativas de fuga que foram sempre neutralizadas rapidamente principalmente pela Michelton-Scott que não queria correr risco de ter alguma surpresa e também da Bora que buscava trazer a etapa para o sprint para que Bennett pudesse tentar a vitória e se aproximar de Viviani na disputa por pontos.

Com isso a primeira fuga que conseguiu conquistar algum tempo em cima do pelotão saiu com cerca de 80 quilômetros para o fina, praticamente no meio da etapa, e contou com 4 ciclistas perigosos: Wout Poels (Sky), Ben Hermans (Israel Cycling Academy), Luis Leon Sanchez (Astana) e Alessandro De Marchi (BMC).

Poels estava impossível hoje. Ele esteve em vários movimentos e no final fez a fuga mais forte do dia com Ben Hermans, Luis Leon Sanchez e Alessandro De Marchi.

O quarteto conseguiu uma vantagem de quase dois minutos, mas o pelotão não dava trégua e com pouco mais de 20 quilômetros para o final, Poels e Hermans foram pegos. De Marchi e Sanchez continuaram até que também foram neutralizados com 11 quilômetros do final.

Veja também:

Egan Bernal correrá o Tour de France 2018

Dennis vence o contra-relógio. Yates permanece com a Maglia Rosa

Yates vence escapado e Froome sucumbe novamente!

A 8 quilômetros do fim, Gianluca Bambrilla (Trek-Segafredo) e Robert Gesink (LottoNL-Jumbo) tentaram uma fuga e logo foram seguidos de Zdenek Stybar (Quick-Step Floors), Sergio Henao (Sky) e Cesare Benedetti (Bora-hansgrohe). Apesar de inicialmente parecer que daria certo, mais uma vez o pelotão se armou e eles foram pegos 2 quilômetros depois.

O último a tentar a sorte foi Maurits Lammertink (Katusha-Alpecin) que, com cinco quilômetros restantes, passou por Kreuziger que era a ponta do pelotão e partiu. Ele conseguiu abrir um pouco, mas faltando cerca de 2 quilômetros, com Sky e Michelton-Scott andando forte na ponta para proteger seus lideres, ele foi pego.

O final da etapa foi disputado em um circuito, os ciclistas deram duas voltas, sendo que, em 80% dele estava seco e com sol, mas os últimos dois quilômetros, principalmente na reta da  chegada, chovia muito.

A Quick-Step logo assumiu a liderança do grupo com Stybar posicionando Elia Viviani para a a disputa do sprint. O trabalho da Quick-step, como sempre muito bem feito, deixou Viviani no lugar perfeito e ele partiu faltando cerca de 200 metros não dando chances para ninguém e conquistando sua quarta vitória no Giro d’Itália de 2018 para alegria dele e de seus companheiros.

Sam Bennett não conseguiu um bom lugar para a disputa e só lhe restou a frustração do segundo lugar. Niccolo Bonifazio (Bahrein-Merida) ficou em terceiro. Simon Yates (Mitchelton-Scott) mantém a liderança do giro com 56 segundos de vantagem sobre Tom Dumoulin.

Hoje a Sky tentou armar algo, mas com o grande controle da etapa nada aconteceu. Amanhã teremos o primeiro dos 3 últimos e decisivos dias de alta montanha. Nao perca!

Acompanhe tudo o que acontece no Giro d’Itália aqui.

Vídeos

Uktimos 45 km:

Resultados oficiais: