Antes do Tour de France o Critérium du Dauphiné é a hora da verdade

Nibali é um dos favoritos a prova e também a conquista do Tour de France, em Julho. O Tubarão de Messina vem de uma temporada perfeita!
Saiba como!

No dia 3 de junho, domingo, começa o disputadíssimo Critérium du Dauphiné, a prova é um termômetro que afere quem serão os grandes favoritos para a vitória no Tour de France, que começa no dia 7 de julho. Chris Foome (Sky), depois de participações constantes não estará presente, depois da vitória no Giro da Itália ele deve voltar as pistas somente para o Tour de France, onde busca mais recordes. 

Também teremos outras ausências importantes. A principal delas é a do vencedor do ano passado Jakob Fuglsang (Astana). O dinamarquês, vice-campeão olímpico nos Jogos do Rio, teve sua primeira oportunidade de liderar a equipe Astana e conseguiu vencer o duríssimo Critérium du Dauphiné de 2017. Fuglsang será o líder da Astana no Tour de France, mas, assim como os 3 líderes da Movistar Mikel Landa, Alejandro Valverde e Nairo Quintana e o líder da BMC Richie Porte, preferiu o percurso menos duro do Tour de Suisse, que começa 1 semana depois do Critérium du Dauphiné, para terminar sua preparação para o Gran Tour francês.

Veja como foi a última etapa do ano passado aqui.

Apesar dessas ausências, a edição 70 do Critérium du Dauphiné, estará repleta de estrelas: Egan Bernal, Geraint Thomas e Michal Kwiatkowski (Sky), Nibali (Bahrain Merida), Julian Alaphilippe e Bob Jungels (Quick-Step Floors), Romain Bardet (AG2R), Ilnur Zakarin (Katusha), Adam Yates (Michelton-Scott) são os nomes que devem brigar pela vitória geral.

Depois de vencer o Tour da Califórnia, o colombiano Egan Bernal foi escalado pela equipe Sky para ajudar Froome na difícil missão de vencer o Tour. A Sky estará com a equipe completa que vai ao Tour, menos Froome, na disputa do Critérium du Dálphiné.

A rota do Critérium du Dauphiné 2018 não é muito diferente da do ano passado, muitas montanhas estarão a espera dos ciclistas. A prova será iniciada com um contra relógio individual de pouco mais de 6 Km e, no quarto dia de competição, a novidade: um contra relógio por equipes de 35 Km, que foi justamente colocado para que as equipes possam se preparar para a terceira etapa do Tour de France que também será um contra-relógio por equipes com a mesma distância.

Além disso teremos mais 26 escaladas divididas nas 6 etapas de montanhas. O Critérium du Dauphiné não possui nenhuma etapa plana, cada dia é uma batalha e muitos velocistas preferem usar o Tour de Suisse para se preparar para o Tour de France, como é o caso de Peter Sagan, Gavíria, Kristoff e Greipel.

Esse ano sobe tanto que, diferente do ano passado quando alguns sprinters como Nacer Bouhanni, Arnaude Demare, Simon Gerrans e Alexander Kristoff estiveram na disputa, esse ano teremos apenas Edvald Boasson Hagen (Dimension Data) tentando a sorte por lá.

Depois do terceiro lugar no Tour de France 2017, Bardet terminará a preparação para o Tour no Critérium. Segundo o diretor técnico da equipe, em entrevista durante os treinos que a equipe fez em Sierra Nevada, ele está em grande forma.

A grande notícia para quem for disputar o Critérium será a possibilidade de reconhecimento, durante a sexta etapa, da duríssima e explosiva 11ª etapa do Tour de France, que terá 110 quilômetros com várias subidas.

Etapas do Critérium du Dauphiné 2018:

Prólogo: Valence-Valence (6,6 Km) [Veja como foi]
Etapa 1: Valence – Saint-Just-Saint-Rambert (179 km) [Veja como foi]
Etapa 2: Montbrison – Belleville (180,5 km) [Veja como foi]
Etapa 3: Pont-de-Vaux – Louhans-Châteaurenaud / CRE (35 km) [Veja como foi]
Estágio 4: Chazey-sur-Ain – Lans-en-Vercors (181 km) [Veja como foi]
Etapa 5: Grenoble – Valmorel (130,5 km) [Veja como foi]
Etapa 6: Frontenex – La Rosière (110 km) [Veja como foi]
Etapa 7: Moûtiers – Saint-Gervais Mont-Blanc (129 km) [Veja como foi]

Vídeo do Percurso:

Veja os perfis das etapas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Equipes participantes e seus líderes:

Lotto Soudal (Benoot, Vanendert)
Team Sunweb (Curvers, Fröhlinger)
Trek – Segafredo (Felline, Brändle)
Team Sky (Kwiatkowski, Thomas)
BORA – hansgrohe (Saramotins, McCarthy)
Bahrain Merida Pro Cycling Team (Nibali, Pellizotti)
Vital Concept Cycling Club (Coquard, de Backer)
Fortuneo – Samsic (Barguil, Bouet)
Cofidis, Solutions Crédits (Simon, Navarro)
UAE-Team Emirates (Martin, Ulissi)
Quick-Step Floors (Terpstra, Alaphilippe)
Team LottoNL-Jumbo (Boom, van Emden)
Team EF Education First-Drapac p/b Cannondale (Moreno, Rolland)
Movistar Team (Erviti, Sütterlin)
AG2R La Mondiale (Bardet, Gallopin)
Groupama – FDJ (Vichot, Molard)
Astana Pro Team (Cataldo, Valgren)
Team Katusha – Alpecin (Machado, Zakarin)
BMC Racing Team (Caruso, Bookwalter)
Mitchelton-Scott (Impey, Yates)
Dimension Data (Boasson Hagen, Cummings)
Wanty – Groupe Gobert (Martin, Meurisse)

Comentários