Colômbia: o segundo país mais poderoso do ciclismo e as Olimpíadas

Saiba como!

A Colômbia surgiu no final da semana passada (29/05) como o segundo melhor país no ciclismo, é o que diz a classificação do Ranking WorldTour – 2016 da União Internacional de Ciclismo (UCI). Apenas a Espanha bate a seleção Colombiana.

Captura de Tela 2016-06-02 às 11.07.56

As duas equipes estarão presentes nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e terão 5 atletas, cada uma, para a prova de estrada que terá 256 Km e mais de 5 mil metros de altimetria.

circuito_olimpico
Circuito Olímpico

Clique para mais informações do circuito olímpico.

Resultados dos atletas colombianos fazem a equipe disparar no ranking

Após o grande desempenho no Giro d’Itália, em que a Colômbia foi o único país que colocou três pilotos entre os dez primeiros, o esquadrão colombiano subiu no ranking da UCI, ultrapassando potências como Austrália, França, Bélgica, Itália e Grã-Bretanha.

Veja alguns resultados dos ciclistas colombianos este ano:

  • segundo no Giro, com Esteban Chaves (Orica);
  • campeão do Tour de Romandie, com  Nairo Quintana (Movistar);
  • campeão da Volta Ciclística a Catalunha, com Nairo Quintana;
  • segundo na Volta ao País Vasco, com Sergio Luis Henao (Sky);
  • segundo no Grande Prêmio Miguel Indurain, com Sergio Luis Henao; e
  • sexto lugar na clássica Paris Nice, com Sergio Luis Henao.

Além desses outros resultados somaram pontos importantes para classificação, como o sétimo lugar de Rigoberto Uran (Cannondale) no Giro e a nona colocação de Darwin Atapuma (BMC), também no Giro.

Os resultados são importantíssimos, mas, além desses, outros ciclistas colombianos chamam muita atenção apesar de não terem resultados tão evidentes como os citados acima, é o caso de Miguel Ángel López, a joia colombiana de apenas 22 anos que tem contrato com a Astana, Sebastián Henao (Sky), Anacona (Movistar), Carlos Betancur (Movistar) e Jarlinson Pantano (IAM). Deixando claro que estamos citando somente os ciclistas com boa capacidade de escalar o que será primordial para fazer parte da equipe Olímpica.

As grandes equipes no Rio

A equipe colombiana é uma das favoritas para ganhar o ouro olímpico, porque a rota será propícia para grandes escaladores. Nomes como Nairo Quintana e Esteban Chaves são, sem dúvida, ciclistas que terão tudo para fazer uma boa prova. Porém, em uma prova que sobe tanto assim, ter uma excelente equipe pode fazer uma grande diferença e, nesse caso, o ciclismo possui alguns países fortíssimos.

Os espanhóis trarão ao Rio uma série de veteranos liderados por Alberto Contador (Tinkoff), Alejandro Valverde (Movistar) e Joaquín Purito Rodríguez (Katusha). E tem a opção de chamar importantes ciclistas como Mikel Landa (Sky), Mikel Nieve (Sky) ou Jon Izaguirre (Movistar).

A Itália, por sua vez, tem dois capitães: Fabio Aru e Vincenzo Nibali, ambos Astana. E, para ajudá-los, tem-se uma enorme lista de nomes como Diego Ulissi (Lampre), Guanluca Brambilla (Etixx), Stefano Pirazzi (Bardiani), entre outros.

A Grã-Bretanha é outra grande potência. Eles estarão presentes, provavelmente, com Chris Froome, Geraint Thomas, Peter Kennaugh e Ian Stannard, todos atletas da Sky.

Além dessas grandes potências, temos países como a Bélgica que deve vir com o veterano Jurgen Van den Broeck (Katusha) e Tim Wellens (Lotto Soudal), a França, que pode montar uma equipe forte com Warren Barguil (Giant), Thibaut Pinot (FDJ), Tony Gallopin (Lotto Soudal), Romain Bardet (AG2R) e Jean Christophe Peraud (AG2R), a Holanda, com Steven Kruijswijk e Wilco Kilderman (Team LottoNL – Jumbo), Robert Gesink (Lotto Jumbo), Bauke Mollema (Trek) e Tom Dumoulin (Giant), a Polônia, outro grande força, que tem Rafal Majka (Tinkoff) e Michael Kwiatkowski (Sky), como principais pilotos. Também não podemos deixar de citar Portugal com seu grande líder Rui Costa (Lampre) e a Austrália de Richie Porte (BMC).

Como visto, candidatos é o que não faltam e nunca é demais lembrar que, nesse tipo de prova, às vezes, um ciclista um pouco mais astuto, que passa despercebido, pode aprontar das suas no final e acabar vencendo. Veja como foi o final da prova de estrada dos Jogos Olímpicos de Londres, vencida pelo ciclista do Cazaquistão, Alexandr Vinokurov:

O Brasil terá apenas quatro representantes nas provas de ciclismo de estrada nos Jogos Olímpicos do Rio. Duas no feminino e duas no masculino.

Comentários

Be the first to comment

Deixe uma resposta