Vuelta a España: Robert Gesink espanta seus demônios e vence a etapa mais disputada da temporada

Talvez essa seja uma etapa que vale não apenas escrever um post, mas um livro inteiro sobre. Foram várias lições que os melhores ciclistas do mundo passaram para os telespectadores que há muito tempo não viam uma briga tão intensa em uma etapa de Gran Tour.

Clique para contribuir!

A começar pelo vencedor da etapa, Robert Gesink (LottoNL-Jumbo), um veterano do ciclismo, que entre grandes resultados em competições, teve que superar problemas cardíacos, inclusive uma cirurgia no coração, problemas familiares que o colocaram em difíceis situações e este ano um acidente que o levou a um trauma craniano (concussão), dias antes do Tour de France e a temporada mais uma vez parecia correr para o ralo. Na carreira do atleta holandês, ocorreram vários top 10 em grandes voltas do mais alto nível, mas nunca uma vitória em etapa, esta foi a primeira.

Com isso, podemos dizer que essa foi uma vitória mais do que merecida. Gesink é um mestre de fugas na alta montanha, é capaz de subir como poucos no mundo, e era fato que esta vitória sairia uma hora, mas hoje a briga foi gigantesca e ele conseguiu.

CrcRWRGWgAAiHqG

Orica e seu plano de mestre

O começo da etapa foi muito forte, uma fuga com 40 ciclistas se formou, e a intenção era clara: Orica e Movistar queriam fazer a Sky trabalhar. Na fuga com 40 componentes, a Orica e a Movistar possuía 3 ciclistas cada, e a Orica com Gerrans, Keukeleire e Nielsen colocaram na ponta sem dó, fazendo com que a fuga andasse mais do que o pelotão, e ambos perdiam pedaços.

A estratégia da Orica tomou corpo quando Simon Yates atacou faltando 30km e se juntou aos escapados que o esperavam. No pelotão o caos era total, os ataques não paravam e a Movistar não queria controlar a situação, queria quebrar a Sky de qualquer jeito e deixar Froome e Quintana para o mano a mano.

Simon Yates on stage 14 of the 2016 Vuelta a España
Simon Yates fazendo a etapa de sua vida no Col d´Aubisque (Orica).

Yates não tinha nada a perder e subiu o Col  d´Aubisque com toda a força possível, pegando os ciclistas da fuga, e atropelando todo mundo. Com esse coelho na cartola, Yates agora é o quarto geral!

E para ajudar, Alejandro Valverde pregou e perdeu mais de 10 minutos na subida final, caindo da 2a para a 19a colocação geral. Assim, Esteban Chaves subiu para a terceira colocação geral, e ainda conseguiu tirar 30 segundos de Quintana e Froome que se marcavam no final. Dia melhor para a Orica não seria possível!!

sptdw4030_670
Lindas paisagens e uma etapa repleta de ataques impressionantes, foram os destaques do dia. Aqui, Samuel Sanches (BMC) tentava colocar tempo em Nairo e Froome, enquanto os dois se marcavam, no final não deu certo, e ele foi alcançado! (TDW)

Gesink: o holandês voador

Robert Gesink começou o dia na fuga com 40 elementos, entre eles: Ruben Fernandez, Dani Moreno e Jose Joaquin Rojas (Movistar), Deniele Bennati (Tinkoff), David Lopez (Team Sky), Tejay Van Garderen (BMC), George Bennett, Victor Campenaerts e Robert Gesink (Lotto NL Jumbo), Simon Gerrans, Jens Keukeleire e Magnus Cort Nielsen (Orica – BikeExchange), Dario Cataldo (Astana), Kenny Elissonde, Odd Christian Eiking e Alexandre Geniez (FDJ), Haimar Zubeldia e Julien Bernard (Trek – Segafredo), Jan Bakelants e Quentin Jauregui (AG2R – La Mondiale), Alberto Losada e Egor Silin (Katusha), Bart De Clercq e Sander Armée (Lotto Soudal), Gianni Meersman (Etixx – Quick Step), Moreno Moser, Pierre Rolland e Davide Villella (Cannondale – Drapac), Omar Fraile e Jacques Janse van Rensburg (Dimension Data), Mathias Frank e Larry Warbasse (IAM Cycling), Mattia Cattaneo (Lampre – Merida), Romain Hardy e Rudy Molard (Cofidis), Christoph Pfingsten (Bora-Argon 18), Pello Bilbao e Sergio Pardilla (Caja Rural-Seguros RGA), Lilian Calmejane, Romain Sicard e Pierrig Quemeneur (Direct Energie).

sptdw4021_670
Segundo na etapa, Kenny Ellyssonde (FDJ) é o novo líder de montanha, e ele promete brigar por ela! (TDW)

O ritmo foi forte durante todo o dia, e ao começar a penúltima montanha, começaram os ataques. No Col d´Aubisque, já em território francês, apenas os escaladores puros foram capazes de pegar a dianteira, e uma fuga com Gesink, Egor Silin, Ellyssonde, Haimar Zubeldia e Bakelants tomou corpo, mas eles se contra-atacavam e Gesink resolveu pegar a ponta e subir sem olhar para trás.

O holandês fez todo mundo cortar da sua roda e apenas o pequeno francês da FDJ, Kenny Ellyssonde, vencedor da etapa rainha da Vuelta em 2013, foi capaz de aguentar. Os dois subiam forte, o francês sofria horrores. No último km o russo Egor Silin re-apareceu, mas foi apenas para a assustar. Gesink abriu o sprint e venceu fácil, apontando para o céu, grande vitória!

gettyimages_598861522_670
Alejandro Valverde sofreu muito hoje e perdeu mais de 10 minutos na subida final, caindo da 2a para a 19a colocação geral (Getty).

A batalha pela geral seguiu metro a metro, ataque em cima de ataque, e parecia que o Col d´Aubisque era a terra do sofrimento para os ciclistas da geral. Quintana atacava e Froome o marcava, e em seguida alguém mais distante na geral tentava a sorte e era anulado. Ao final os maiores beneficiados foram Chaves e Konig, que atacaram e não foram marcados, além de Yates, que depois dessa pode jogar na loteria! 🙂

Veja o vídeo resumo da etapa:

Confira o vídeo com os últimos quilômetros da etapa:

Confira mais imagens desta etapa (TDWSport):

Este slideshow necessita de JavaScript.


Saiba Tudo sobre a Vuelta aqui!

Resultados

Comentários

Be the first to comment

Deixe uma resposta