Giro di Lombardia: os 10 favoritos para o último monumento da temporada

Saiba como!
Esta matéria tem o apoio delogo-bici

Neste sábado acontece o último monumento da temporada, o Giro di Lombardia, na Itália. A prova está no mesmo nível de importância de clássicas como a Paris-Roubaix, Tour de Flanders, Liège-Bastgone-Liège e Milan-San Remo. O pelotão será composto pelas maiores equipes do mundo e a briga será muito acirrada. Estarão em jogo, não apenas o título desta importante prova, mas o ranking mundial individual e por equipes.

Saiba tudo sobre o Giro di Lombardia aqui: Giro di Lombardia: a clássica dos escaladores

Confira quais são as apostas para esta grande clássica:

1 – Alejandro Valverde

Valverde vem de uma temporada “não usual”, fez boas clássicas na primavera em abril, inclusive vencendo a Fleche Wallonie, e depois correu os 3 GTs do ano: Giro, Tour e Vuelta, onde foi terceiro, sexto e décimo-segundo, respectivamente, sem contar vitórias em etapas e em voltas de uma semana. O que mostra uma incrível constância e um enorme apetite por resultados. Valverde ainda correrá no mundial de Doha na próxima semana, antes de tirar as merecidas férias, mas vencer na Lombardia seria fechar o ano com chave de ouro para o ciclista natural da região da Múrcia, na Espanha.

Apesar de ter ficado doente após a Vuelta e não ter corrido a Milão-Turim para se recuperar, Valverde foi quarto ano passado e segundo em 2013 e 2014 no Giro di Lombardia. Quem sabe, se desta vez, a vitória não venha?

bettiniphoto_0253471_1_originali_670

2 – Miguel Angel “Superman” Lopes

Uma das revelações (outra!) do ciclismo colombiano, Miguel Lopes acabou de vencer a Milão-Turim nesta semana e vem de uma boa série de resultados. Vencer um monumento seria uma grande conquista para o jovem de 22 anos, talento e força ele já mostrou que possui, só basta mostrar isso novamente.

Veja a vitória de Lopes na Milão Turim.

sptdw2003_670

3 – Mikel Landa

Landa vem de uma temporada diferente dos dois atletas mostrados acima, teve resultados tímidos e precisa vencer para manter um bom ambiente dentro da Sky, que tem cobrado seus atletas para fazerem bonito nas clássicas. O atleta basco precisa atacar de longe e não levar a prova para a chegada, isso será possível devido à uma dura subida presente nos últimos quilômetros, e ali ele terá de mostrar por que veio.

sptdw8012_670

4 – Rigoberto Uran

Neste segundo semestre do ano cansamos de ver Rigoberto Uran (Cannondale-Drapac) bater na trave, foram vários pódios, mas a vitória ainda não veio. Ele terá de usar sua tática para enfrentar os grandes escaladores e fazer valer os muitos quilômetros de treinos realizados nas altitude da Colômbia, seu país natal. Ele será mais um colombiano com sede de vitória e estaremos na torcida para bons resultados do ciclismo sul-americano.

bettiniphoto_0264417_1_originali_670

5 – Alberto Contador

Após duas grandes decepções nesta temporada, que foram a queda e posterior desistência do Tour de France, e a árdua participação na Vuelta, onde terminou em quarto a 7 segundos do pódio, Alberto Contador (Tinkoff-SaxoBank) afirmou essa semana que vencer na Lombardia seria como “fazer as pazes com a vitória”, segura o homem!

sptdw7048_670

6 – Wout Poels

De todos os atletas dispostos aqui, o único que venceu um monumento na temporada, e estará presente no Giro di Lombardia, é Wout Poels (Sky), que venceu a Liège-Bastgone-Liège este ano. Poels deve dar muito trabalho com seus ataques e será um dos ciclistas mais difíceis de serem marcados no pelotão.

Saiba mais sobre Wout Poels.

sptdw1168_670

7 – Joaquim “Purito” Rodrigues

O cara tinha se aposentado após as Olimpíadas, mas seu chefe conseguiu convencê-lo ($$$) a voltar a competir pois ainda estava em seu contrato, que vai até 31 de dezembro com a Katusha. Purito não só voltou a correr essa semana na Milão-Turim, mas pensa em assinar com o time Bahrein-Merida, ao lado de Vincenzo Nibali ano que vem. Ele disse que não tem chances aqui, mas os resultados e o currículo de Purito em provas com o perfil da Lombardia dizem que ele não viria para a prova apenas para participar, ele vai para cima!

44_copy_670

8 – Daniel Martin

O irlandês Daniel Martin venceu o Giro di Lombardia em 2014, onde mostrou sua capacidade poli-valente de subir e manter a potência em patamares que poucos no pelotão podem imaginar. Ele, com certeza, será um dos caras mais fortes e preparados para a competição.

bettiniphoto_0252370_1_originali_670

9 – Julian Alaphilipe

Companheiro de Daniel Martin, e com as mesmas características, o jovem francês que vem fazendo estrago nas clássicas, deve deixar sua marca na prova. Alaphilipe é um dos ciclistas mais completos do pelotão, e com apenas 24 anos de idade, já mostra que não vem para brincadeira. Após vários bons resultados na temporada, como a vitória geral no Tour da Califórnia, segundo na Fleche-Wallonie, segundo no campeonato Europeu (atrás de Sagan) e o quarto lugar nos Jogos Olímpicos, Alaphilipe disse que não quer mais ficar no quase, quer surpreender!

Veja como foram os Jogos Olímpicos do Rio.

gettyimages_474430562_670

10 – Johan Esteban Chaves

Deixamos para o final nossa grande aposta, Chaves tem em suas mãos a chance de trazer um monumento para a América do Sul, e ele possui todas as características necessárias para vencer a prova: sobe muito, aguenta a quilometragem e tem ótima tática, todos são quesitos essenciais para vencer a prova. Nesta semana ele já venceu o Giro Del´Emillia e vem para a Lombardia para coroar uma temporada única, em que mostrou ser um dos melhores ciclistas do mundo.

Confira a vitória de Chaves no Giro dell´Emilia.

chaves-emilia

Comentários

Be the first to comment

Deixe uma resposta