Flandres, a região onde o Ciclismo e Religião se encontram

Em destaque, ninguém menos que Eddy Merckx. com suas 525 vitórias, muito mais que qualquer outro mortal.
Saiba como!

A paixão dos belgas pelo ciclismo é algo descomunal, mas na região de Flanders o negócio é levado bem mais a sério. Lá foi criada uma IGREJA DO CICLISMO, ou melhor, algo bem próximo disso, criaram um museu.

Localizado na cidade de Roeselare (Bélgica), o museu é totalmente dedicado ao ciclismo e foi construído dentro de uma igreja desativada fundindo elementos do ciclismo com elementos religiosos, mais precisamente do Catolicismo.

Luz entrando na ‘igreja’ pelos antigos vitrais, e iluminando a cruz de bicicletas, e alguns ‘Mantos’

Como toda igreja, essa também abriga artefatos históricos e obras de arte, como camisas de equipes, cartazes, bicicletas antigas e outros artefatos como uma Bianchi do Fausto Coppi e luvas de Andy Schleck.

Visão geral, onde é possível observar toda a parte central, com a Cruz em destaque no meio, e algumas bicicletas em frente.

Como toda igreja, nessa há um Criatura Divina Superior, ou melhor: um Deus. E o do ciclismo não poderia ser ninguém menos que Eddy Merckxx. Ele possui o seu próprio altar onde estão uma bicicleta utilizada por ele, muito bem conservada dentro de uma redoma de vidro, além de uma grande fotografia de seu rosto cercada por nuvens e anjos. Um verdadeiro Deus!

Em destaque, ninguém menos que Eddy Merckx. com suas 525 vitórias, muito mais que qualquer outro mortal.

E onde há um Deus, por obrigação, é necessário ter o lado obscuro, o mal. Algum palpite?

Pois é, na Bélgica, o anti-cristo utiliza uma pulseira amarela com a escrita Livestrong. E aqui você pode encontrá-lo dentro de um confessionário, conversando com Oprah Winfrey, em loop infinito.

Parte dedicada aos pecadores e como maior exemplo Lance Armstrong, que para muitos ainda é considerado herói.

Há, também, um comparativo com a Via Sacra, onde, por exemplo, é possível ver Fabian Cancellara carregando sua bicicleta que, no caso, representa sua cruz. Ele a carrega sobre os ombros em imagem do Tour de Flanders em 2009. Uma verdadeira imagem sacra!

Fabian Cancellara carregando sua bicicleta nas costas, no Koppenberg, durante o Tour de Flanders de 2009, após problemas mecânicos.

Ao fim, ainda é possível observar uma enorme cruz, construída com diversas bicicletas, amontoadas e soldadas. Atrás dessa cruz, há diversas camisas de líderes de Grandes Voltas, Campeões Mundiais e diversas outras.

Um verdadeiro santuário com as mais diversas camisas.
Sobre Estagiário 45 Artigos
Menos conhecido por Giovanni Santana, é graduando em Engenharia de Aquicultura (UFPR). Ciclista de fim de semana, entusiasta e corneta em tempo integral.