TOP 10 – Ciclistas com apelidos de Animais

Hinault, sempre com cara de poucos amigos. Visava sempre a vitória, não importava o que ele precisava fazer para conquistá-la
Saiba como!

Apelidos, são uma forma de chamar outras pessoas que não seja por seu próprio nome, os apelidos podem ser para tratar de forma carinhosa, zombar, ou simplesmente destacar uma característica de uma pessoa.

Todos (ou a maioria de nós), já recebeu algum apelido em algum momento da vida, independente de gostarmos ou não. E com os ciclistas não é diferente, muitos têm apelidos e o carregam por toda a carreira, hoje o nosso TOP 10 traz os melhores e mais curiosos Ciclistas que receberam apelidos relacionados a algum Animal! Confere ai.

10 – André Greipel – Gorilla

André Greipel, o sprinter alemão de 36 anos, que já acumula 156 vitórias em seu currículo, é popularmente chamado de Gorila. Ele conta que o apelido vem desde a época de Júnior, e que não se recorda ao certo quem começou com isso. O apelido foi dado devido ao porte físico do alemão.

O Gorila, André Greipel, indo pra mais uma vitória em sprint! A força física dele se tornou a marca registrada

9 – Paolo Betini – O Grilo (El Grillo)
Paolo Betini, a lenda italiana, com um currículo invejável, com 4 monumentos (2x Lombardia, 2x Liége-Bastogne-Liége), 2x campeão mundial, sempre foi chamado de “El Grillo”. Betini ficou conhecido por esse apelido desde suas primeiras competições juvenis, pois ele sempre estava saltando do pelotão!

Paolo ‘El Grillo’ Betini, vencendo a clássica Liege-Bastogne-Liege com a camisa de campeão do Mundo!

8 – Laurent Jalabert – Panda
O controverso Laurent Jalabert, vencedor de 18 etapas da Vuelta a España, 4 etapas do Tour de France, Milan-Sanremo e Lombardia. Ficou conhecido popularmente como Panda, pois tinha olhos tristes e grandes sobrancelhas negras.

E ai, será que foram separados na maternidade?!

7 – Federico Bahamontes – Águia de Toledo (Aguila de Toledo)
O icônico ciclista Espanhol, Federico Martín Bahamontes, foi o primeiro Espanhol vencedor da classificação Geral do Tour de France, e ficou conhecido como Águia de Toledo, indicando que ele sempre voava nas montanhas, e a região de onde ele veio.

Bahamontes estampando uma capa de revista, deixando bem claro do porque era chamado de Águia, sozinho na montanha!

6 – Johan Museeuw – Leão de Flandres (Lion of Flanders)
Johan Museeuw, tem como maiores conquistas um campeonato mundial e 3 vitórias em cada uma das monumentos de paralelepípedos: Tour de Flandres e Paris – Roubaix. Museeuw é considerado por muitos o melhor classicista de ‘pavés’ de seu tempo. Leão, por sempre ser ‘faminto’ nas suas provas, e aqui outro exemplo da região de onde veio, e também de onde venceu grandes corridas!

Johan Museeuw, correndo pela Mapei, vencendo uma de suas 3 Paris-Roubaix

5 – Marco Pantani – Elefantinho (L’Elefantino)
Marco Pantani, também um corredor controverso, para muitos herói, para outros vilão. Considerado o melhor escalador da década de 90, e último corredor a vencer o chamado Double Giro-Tour, quando se vence Giro D’Itália e Tour de France no mesmo ano!

Marco é mais conhecido como “O Pirata”, mas também era chamado de Elefantino, que nada mais é que a tradução italiana para o famoso Dumbo!

Mais parecido com um Pirata ou com o Dumbo ?

4 – Fabio Parra – Condor dos Andes (Condor de los Andes)
Fabio Parra, colombiano, fez muito sucesso aparecendo no cenário mundial no meio da década de 80. O colombiano acumula 2 vitórias em etapas do Tour de France e outras 2 na Vuelta a España. E sempre figurou nas classificação gerais das grandes Voltas, sendo uma vez 3º no Tour, e 4x 5º na Vuelta. Recebeu carinhosamente o apelido de uma ave muito popular na região de onde veio, e por estar sempre nas montanhas.

Fábio Parra, voando pelas montanhas!

3 – Bernard Hinault – O Texugo (The Badger)
Bernard Hinault, o multicampeão francês sempre acumulou títulos e confusões. Ganhando 5x o Tour de France; 3x o Giro D’Itália; 2x a Vuelta a España; 4 Clássicas Monumento (2x Lombardia e 2x Liége-Bastogne-Liége); e 1x campeão mundial. Foi chamado de Texugo, por ser um animal completamente agressivo e brigador, e essa era de fato a característica de Bernard, tanto em cima ou fora da bicicleta.

Hinault, sempre com cara de poucos amigos. Visava sempre a vitória, não importava o que ele precisava fazer para conquistá-la

2 – Nibali – Tubarão de Messina (Lo Squalo dello Stretto)
Vincenzo Nibali, o italiano vencendo 2x do Giro D’Itália, 1x do Tour de France, 1x da Vuelta a España, ainda conta com 2x Lombardia e uma Milan-Sanremo. É conhecido como ‘Lo Squalo dello stretto’ ou Tubarão de Messina, ou simplesmente Tubarão. O apelido foi dado na época de Júnior, devido a sua tenacidade em perseguir seus objetivos, e seus insaciável apetite pela vitória.

Vincenzo Nibali, e sua característica comemoração de vitórias, simulando a Barbatana do tubarão !

1 – Tom Dumoulin – Borboleta de Maastricht
Tom Dumoulin, um dos grandes contra-relogistas e volteiros da atualidade, vencedor do Giro D’Italia, mesmo após parar para evacuar, e campeão mundial de Contra-Relógio em 2017. Foi chamado de ‘Butterfly of Maastricht’ devido a sua elegância, graça e habilidade na bicicleta, durante a Vuelta a España 2015, Maastricht é o local de nascimento do ciclista. Fato é que o Tom não curte muito o apelido !

Tom Dumoulin, desfilando sua elegância no Contra-Relógio

Criar um TOP 10 é de fato complicado, infelizmente sempre ficam alguns nomes conhecidos de fora, como por exemplo Gino Bartali, citado no TOP 10 – Irmãos no Ciclismo, que é conhecido por ser o Leão da Toscana. Busquei trazer os mais curiosos, se lembrar algum pode falar pra gente ai!

Sobre Estagiário 45 Artigos
Menos conhecido por Giovanni Santana, é graduando em Engenharia de Aquicultura (UFPR). Ciclista de fim de semana, entusiasta e corneta em tempo integral.