Giro d’Itália: Masnada brilha na fuga e tombo derruba vários favoritos

Saiba como!

Mais uma etapa longa e complicada nesse Giro d’Itália. Foram mais de 230km e com uma dura subida no final do dia, após quase 6 horas de pedalada. Todos já aguardavam uma primeira guerra pela Maglia Rosa de Primoz Roglic, mas foram os tombos e a fuga que chamaram a atenção da etapa.

O italiano Fausto Masnada (Androni Giocattoli-Sidermec) fez jus à grande temporada que ele está tendo em 2019 e brilhou na etapa de hoje. Ele fez parte da grande fuga da etapa e venceu escapado após rolar muitos ataques na subida final.

Na segunda colocação ficou o novo Maglia Rosa do Giro, Valerio Conti (UAE Team Emirates), e em terceiro José Rojas (Movistar Team).

Curiosidade 1: o técnico da Androni, Gianni Savio já tem incríveis 15 vitórias no Giro!

2001 – 1 Vitória (Contreras)
2005 – 3 Vitórias (2 Parra, Rujano)
2008 – 1 Vitória (Bertolini)
2009 – 3 Vitórias (2 Scarponi, Bertagnolli)
2010 – 1 Vitória (Scarponi)
2011 – 3 Vitória (Vicioso, 2 Rujano)
2012 – 2 Vitória (Rubiano, Ferrari)
2019 – 1 Vitória (Masnada)

Podemos dizer que Masnada tirou um coelho da cartola com essa vitória, pois desde 2012, quando venceram com o colombiano Miguel Angel Rubiano, a Androni não vencia uma etapa do Giro de Itália. Masnada quebrou um jejum danado!

A crash on stage 6 of the Giro d'Italia
Mais um acidente nesse Giro!

E por falar em jejum, fazia tempo que um italiano não liderava um GT. Valério Conti vestiu uma camisa de líder em GTs pela primeira vez na carreira e desde que Vincenzo Nibali venceu o Giro em 2016, isso não aconteceu mais.

A fuga do dia contou com 13 atletas, contendo fortes ciclistas como Valerio Conti, Fausto Masnada, Andrey Amador, Ruben Plaza e o português Amaro Antunes.

Eles conseguiram construir uma boa diferença, com mais de 7 minutos, sobre o pelotão principal. A Jumbo-Visma não se importou em finalmente conceder a camisa de líder para outra equipe. A concessão foi estratégica, pois assim a equipe poderá “descansar” algumas etapas e poder mais tarde recuperar a liderança com Roglic nas montanhas.

The break of the day, mid-stage
A fuga do dia com José Rojas, Andrey Amador (Movistar), Nans Peters (AG2R La Mondiale), Pieter Serry (Deceuninck-QuickStep), Ruben Plaza (Israel Cycling Academy), Nicola Bagioli (Nippo-Fantini-Faizanè), Valerio Conti (UAE Team Emirates), Fausto Masnada (Androni-Sidermec), Giovanni Carboni (Bardiani-CSF), Valentin Madouas (Groupama-FDJ), Sam Oomen (Team Sunweb) e Amaro Antunes (CCC Team) (Bettini).

Em meio aos longos 238km da etapa, uma grande queda chacoalhou o pelotão. Entre os ciclistas que caíram estavam Mikel Landa, o líder Primoz Roglic e muitos outros. A queda causou a desistência de Robert Power (Mitchelton-Scott) e Laurens Tem Dam (CCC).

The peloton during stage 6
Público mudou um pouco sua rotina diária para ver o pelotão em uma das subidas da etapa (Getty).

Aos poucos o Giro vai tomando uma nova forma, com a saída de nomes importantes e das quedas que podem prejudicar a performance de alguns ciclistas. É difícil predizer como Landa, Roglic e Yates andarão após as quedas que sofreram nos últimos dias.

Publicamos me nosso Instagram, hoje, a foto do machucado de Tom Dumoulin (Sunweb) que causou sua desistência. O holandês campeão de 2017 bateu forte com a coxa, na coroa do pedivela de outro ciclista, e o corto foi bem profundo. É um esporte realmente complicado, em grandes voltas tudo pode acontecer.

 was involved in the big crash
O norte-americano Sep Kuss (Jumbo-Visma) se envolveu na grande queda da etapa. Além dele, vários ciclistas importantes caíram hoje, como Mikel Landa, o líder Roglic, Ackermann e outros (Bettini).

Com essas e outras, essa primeira semana tem servido, também, para desgastar os ciclistas com tantas etapas longas. É difícil dizer como serão os contra-relógios dos atletas após mais de mil quilômetros de competição, e eles precisarão estar bem para o crono de domingo com 34 km e em forma de uma crono-escalada disfarçada 🙂

 lead the peloton
Jumbo-Visma controlando o pelotão para Primoz Roglic. Agora a equipe terá alguns dias para descansar enquanto a camisa estiver com Valério Conti. Nas montanhas Roglic deve voltar a reinar! (Bettini)

Curiosidade 2: Valério Conti de Rosa quebra um tabu que já durava 48 etapas e 3 Giros.
O maior tempo em que um italiano ficou sem usar a Maglia Rosa foi nos anos áureos de Eddy Merckx, quando o tabu durou 78 etapas!

A etapa 7, amanhã, passa pela cidade natal de Giulio Ciccone, logo, seu objetivo era passar por lá vestindo a Maglia Azurra! Objetivo concluido com sucesso para o garoto!

Melhores momentos:

Resultados